Quatro candidatos ao governo da Bahia participam de último debate; veja como foi


Foto: g1 Bahia

Quatro candidatos ao governo da Bahia participaram, na noite desta terça-feira (27), do último debate da disputa eleitoral realizado pela TV Bahia, em Salvador. Os postulantes ACM Neto (União Brasil), Jerônimo Rodrigues (PT), João Roma (PL) e Kleber Rosa (PSOL) estiveram presentes na sede da emissora afiliada da Globo para participar do debate, mediado pela jornalista Graziela Azevedo.

O debate teve cerca de duas horas e foi divido em quatro blocos: o primeiro e o terceiro com temas livres; o segundo e o quarto com temas determinados. Ao final do quarto bloco, cada candidato fará suas considerações finais.

Os candidatos terão 30 segundos para fazer as perguntas e um minuto para a réplica, enquanto o candidato que responde terá três minutos, que poderá dividir como quiser, entre a resposta e a tréplica.

As perguntas, em ordem sorteada previamente, serão feitas sempre de candidato para candidato. O candidato escolhe para quem direciona sua pergunta, entre os que ainda não tiverem respondido naquele bloco. No bloco de temas determinados, a mecânica é a mesma, com o mediador sorteando em uma urna, antes das perguntas, o tema que deverá ser abordado.

1º bloco

No primeiro bloco, Jerônimo Rodrigues começou o debate perguntando a ACM Neto sobre promessas que, segundo ele, não foram cumpridas pelo ex-prefeito de Salvador na área da Educação. O candidato do União Brasil respondeu falando da gestão da Educação de Jerônimo, ex-secretário do governo Rui Costa.

Na réplica, o candidato do PT relembrou o fato de ACM Neto ter se autodeclarado pardo. O ex-prefeito da capital utilizou a tréplica para falar que o petista foi considerado o pior secretário do país.

Em seguida, João Roma perguntou à Jerônimo Rodrigues sobre impostos. O petista falou sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL) e afirmou que Roma “defende o indefensável”. O ex-ministro da Cidadania do governo Bolsonaro afirmou, na réplica, falou sobre a regulação do preço dos combustíveis.

Kleber Rosa, terceiro a perguntar, dirigiu ao candidato João Roma uma questão sobre a presença dele na gestão de ACM Neto, quando ele era prefeito de Salvador. O candidato do PL relembrou a implantação do Auxílio Brasil. O postulante do PSOL afirmou que o governado de Bolsonaro é “marcado por corrupção”. “O que vivemos hoje é a promessa da realização de um grande Brasil”, disse Roma na tréplica.

Último a perguntar no 1º bloco foi ACM Neto, que teve que fazer a pergunta a Kleber Rosa. O candidato do União Brasil questionou se “aqueles que destruíram a educação da Bahia, merecem ficar mais quatro anos”. “Eu defendo a reforma, a valorização do professor, além de outras questões óbvias. A gente vive uma questão dos precatórios, que o governador Rui Costa decidiu não pagar o direito dos professores”, disse Rosa. O postulante do PSOL, no entanto, afirmou que Neto “precisa prestar contas da sua gestão” que ele deve explicações.

Neto utilizou as réplicas para citar uma afirmação sobre as cotas, dita por Jerônimo Rodrigues. Em seguida, disse que o PT teve “inúmeras oportunidades” para melhorar a educação da Bahia. Kleber Rosa disse que, além da educação, a Bahia não referência em outros serviços públicos.

2º bloco

No segundo bloco, os candidatos fizeram perguntas de temas determinados. Quem começou perguntando neste bloco, foi o candidato do PL, João Roma e o tema sorteado foi a construção da ponte Salvador-Itaparica. Ele escolheu fazer a pergunta para Jerônimo Rodrigues (PT). “O que o senhor vai fazer diferente para avançar na infraestrutura da Bahia?”, questionou.

“A ponte tem a possibilidade de geração de 6 a 8 mim empregos, que tem possibilidade de geração de renda. Já me comprometi a concluir a ponte, no meu plano de governo”. Roma rebateu afirmando que a ponte é uma obra que deve ser do Governo Federal, e que pretende fazer um “Expresso Recôncavo”.

“Vou garantir que o projeto da ponte está bem andado. Eu vencerei essas eleições e construirei essa ponte”, disse Jerônimo na réplica.

ACM Neto fez a segunda pergunta sobre desenvolvimento industrial para João Roma. “Aqueles que ficaram 16 anos e permitiram que a Bahia tivesse uma ‘desendustrialização’ podem continuar no poder?”, questionou o candidato do União Brasil. Roma voltou a falar da quantidade de impostos na resposta.

“Hoje o candidato que fugiu de todos os debates apareceu aqui. Seu assessor, que hoje está no cargo de prefeito de Salvador, pediu desesperado o voto útil”, completou Roma. Neto, na tréplica, disse que Roma tem a marca da “deslealdade” e “fome de poder”. O candidato do PL, por fim, afirmou que desleal é ACM Neto.

Kleber Rosa perguntou para ACM Neto, na terceira rodada, sobre o investimento no turismo. O candidato do União Brasil falou sobre a construção do Centro de Convenções, em Salvador, e voltou a criticar Jerônimo Rodrigues na gestão da Educação.

O candidato do PSOL criticou o fato de Neto usar a pergunta para criticar o postulante do PT. O ex-presidente de Salvador afirmou, na réplica, que “quem não fez pela segurança pública, não vai fazer pela educação”.

Por fim, o tema sorteado para Jerônimo Rodrigues questionar Kleber Rosa sobre a segurança pública. “O modelo defendido pelo seu governador é um modelo genocida, que mata a população preta e pobre. Isso precisa ser discutido de forma séria, porque isso é notório”, disse o candidato do PT na resposta.

“No meu programa de governo está a preocupação central com concurso público, para termos efetivo suficiente para acompanhar esse processo, mas consta também ações para além da ação militar”, defendeu Jerônimo. Em seguida, o petista voltou a dirigir a resposta a ACM Neto.

3º bloco

No terceiro bloco, as regras permitiam que alguns candidatos respondessem mais de uma vez. Kleber Rosa iniciou o bloco perguntando para Jerônimo Rodrigues sobre a privatização da Embasa, feita pelo governador Rui Costa.

“O papel da Embasa é importante em duas frentes. Na oferta da qualidade de água, existe um plano para que até 2033 toda a Bahia tenha oferta de água; e o outro é o saneamento, que é um tema mais complexo”, disse Jerônimo.

“O candidato não se compromete com a manutenção da Embasa. Acha, como os outros, que privatizar a Embasa é se livrar do problema”, rebateu Rosa.

O segundo a perguntar foi Jerônimo Rodrigues (PT). Ele questionou à João Roma, do PL, sobre a postura de ACM Neto de “tanto faz”. “Por que ele quer o voto do presidente Bolsonaro? Qual é a diferença de ACM Neto e PT?”, disse Roma.

Na hora de pergunta, Roma optou por dirigir a questão para Jerônimo Rodrigues e citou mais uma vez Lula e Bolsonaro.

ACM Neto perguntou à Kleber Rosa sobre educação. “Eu sei que você valoriza a educação. Você vai ter coragem de votar em um governo que deixou a Bahia em penúltimo lugar?”, questionou. “Eu não sei porque você quer debater com Jerônimo e não quer debater comigo”, disse o candidato do PSOL, ressaltando a autodeclaração de pardo feita por Neto.

4º bloco

O quarto bloco voltou com os temas definidos por sorteio. O primeiro a perguntar sobre combate às facções criminosas foi feita por João Roma à Jerônimo Rodrigues. “No meu programa de governo está estabelecidas frentes sobre a segurança pública. Primeiro o rigor que esse tema exige. No orçamento terá as condições devidas para concurso público e valorização do profissional”, disse Jerônimo. “O que nós defendemos é o direito do cidadão se armar”, definiu Roma.

Jerônimo Rodrigues, do PT, foi o segundo a responder. A questão foi sobre “estímulo a produção rural” e foi destinada a Kleber Rosa. “Estava me incomodando o silêncio nesse debate sobre a fome. Não existe a centralidade em um debate como esse sobre o que é mais urgente para o cidadão. O agronegócio bateu recorde na produção de grãos no mesmo momento que a fome bateu índices alarmantes”, disse o candidato do PSOL.

ACM Neto (União Brasil) perguntou sobre assistência em saúde para Jerônimo Rodrigues (PT). “Seu grupo político ficou 40 anos no poder. Em 16 anos, nenhum hospital dos seus, e 20 dos nossos”, respondeu Jerônimo. “Conseguir um internamento hospital é um dos principais problemas, se não for o maior do interior”, rebateu Neto.

Finalizando o quarto bloco, Kleber Rosa perguntou sobre infraestrutura para João Roma. “Eu defendo o agro, sou o único aqui que defendo o agro, um vetor de desenvolvimento do nosso país”, afirmou o candidato bolsonarista.

Considerações finais

  • Jerônimo Rodrigues (PT)

Graziela, parabéns pela condução. Obrigado pela sua companhia. Quero também aqui saudar e agradecer os candidatos que vieram a esse debate. E a você que está em casa, quero me dirigir com uma mensagem muito especial. Hoje eu recebi uma visita de Leonardo Boff e fez uma oração muito bonita para mim. Foi assim ao longo dessa nossa caminhada. Foi assim na pré-campanha, na campanha, a gente visitando, acompanhando, escutando as propostas de programa de governo. Nós apresentamos aqui proposta de governo, o ex-prefeito apresentou a arrogância. Eu quero dizer a você que o meu coração está pronto, minha alma meu corpo se cuidar de você, eu fui preparado, repito, para ser um bom filho, um bom pai, um bom esposo, um bom gestor para cuidar de você. Não tem motivação, se não for fazer uma boa gestão, cuidar de gente com o coração, e eu quero agradecer aqui a cada município, a cada militante. Esta última semana, a semana da virada, Lula 13, Jerônimo 13, Otto Alencar 555, está maravilhosa. Tenho certeza, nós ganharemos essa eleição no primeiro turno, mas graças a você a onda da esperança, a onda da fé, está contaminando cada canto, chegando em cada canto. Agradecer aos prefeitos, aos ex-prefeitos, vereadores, aos partidos políticos, aos militantes de cada canto desse estado, do oeste, do extremo sul. E a você que compõe essa nossa jornada. Eu quero seu voto para que eu possa cuidar de você, mas não é só o seu voto. Eu quero que você multiplique o seu voto em nome da esperança de Lula presidente, Gerônimo governador e Otto senador e os deputados do time de Lula. Aqui tem lado.

  • ACM Neto (União Brasil)

Agradecer a todas as pessoas que nos acompanharam até esse momento. Dizer que lamentavelmente houve aqui uma combinação entre os candidatos para nos dois últimos blocos eu não ser perguntado, para caçarem a minha palavra, mas não tem problema nenhum porque eu venho falando com os baianos desde o começo do ano passado. Eu me preparei a vida inteira para esse momento, me preparei em mais de 20 anos de vida pública para ser governador do Estado da Bahia. Agora, meus amigos, a verdade é que nós só temos dois caminhos possíveis no próximo domingo, no próximo dia 2 de outubro. De um lado votar pela manutenção daqueles que estão aí há 16 anos, tiveram muitas oportunidades e a Bahia hoje é campeã nacional de homicídios. A Bahia é campeã de desemprego. A Bahia tem a fila da regulação matando as pessoas e a pior qualidade da educação do Brasil. Por tabela, você ainda leva o educação que deixou a Bahia em último lugar do Brasil. Agora o outro caminho é votar pela mudança, é votar pelo futuro. Vocês foram ameaçados a eleição inteira. Como se eles fossem donos dos votos de vocês. Não são. Vá com fé no dia 2 de outubro. Vote no presidente que você quiser, no presidente do seu coração, da sua esperança, da sua confiança e eu lhe asseguro que, se você também votar 44 para governador, eu vou trabalhar com o próximo presidente da república, como fiz durante oito anos como prefeito de Salvador, que trabalhei com três presidentes da república diferentes, nenhum deles do meu partido, e sair como o melhor prefeito do Brasil, não como o pior secretário de educação do Brasil. Finalmente quero dizer a vocês que eu estou nessa luta, nessa caminhada por amor a minha terra. Então no próximo domingo vote 111 para senador e 44 para governador, pelo futuro da Bahia.

  • João Roma (PL)

Meus queridos amigos, precisamos colocar a Baía e mãos dadas com Brasil. Agora ridículo ver o todo poderoso ACM Neto ficar aqui de mimimi se bancando de vítima, ele devia antes de tudo respeitar a família porque o senador Antônio Carlos deve estar se revirando com esse mimimi. O Netinho dele, menino mimado, não sabe o que é enfrentar a diversidade. A Bahia precisa de um líder, não de um covarde. Você que é cristão, você que é católico, você que é evangélico, você vai votar no candidato que não se posiciona contra o aborto ou que não se posiciona contra a ideologia de gênero, nenhum deles aqui se posiciona em relação a isso. Eu me posiciono. Então você vota no 22. Você que é produtor rural, você que é homem do campo, você que era sem terra e agora está recebendo seu título de terra com o governo Bolsonaro, deixando de ser manipulado, só quem lhe defende é João Roma 22. Está na hora pessoal e nós temos muita clareza que defendemos aqui Deus, Pátria e família e liberdade. Esse é o momento da Bahia se libertar dessas práticas atrasadas da política, não é possível que grupo se reveze no poder e a Bahia vai ficando para trás. Ele fala que agiu na pandemia. Na pandemia ele atacou o presidente Bolsonaro. Porto Seguro, dirigido por Dra. Raíssa, a nossa candidata ao Senado 222, teve metade das mortes proporcionais que Salvador teve. Mas disso ele não fala, então precisa se colocar realmente uma lupa para saber essa eficiência. Eu peço a você que hoje nos assistiu lá com o presidente Bolsonaro em Juazeiro e viu o presidente dizer que não votasse nesses outros candidatos, mas sim no seu grupo. Aqui na Bahia é 22 Bolsonaro, 22 João Roma, 222 Doutora Raíssa. Muito obrigado a todos vocês, vamos colocar a Bahia mãos dadas com o Brasil. Que Deus ilumine a todos.

  • Kleber Rosa

Parabenizar a você pela condução Graziela e parabenizar a TV Bahia por todo o processo de cobertura, oportunizando a democracia ao espaço de debate, inclusive aos candidatos que não têm acento aqui neste debate. Então parabéns a toda a cobertura. Quero me apresentar para vocês. Eu sou um homem de 48 anos de idade, meu avô não me preparou para ser Governador. Mas a vida de labuta, a convivência com as dores do povo me prepararam para estar aqui e para defender o nosso povo com qualidade, com dignidade e seu único a fazer essa defesa. Estou preparado para governar a Bahia para o nosso povo. Quero dizer também que a gente não faz isso sozinho, nós temos muita gente ao nosso lado. Então eu quero pedir voto pra nossa chapa ao Senado Tâmara Azevedo, Professor Max e Zen Costa, vote 500 para o Senado. A única candidatura de esquerda para o Senado na Bahia. Quero dizer também que nós temos uma galera que luta cotidianamente pelo nosso povo, que são os nossos candidatos e candidatas a deputados federais e estaduais, para que a gente possa ter um exército verdadeiramente em defesa do nosso povo. Quero dizer para vocês: essas propostas que estão aqui todas elas já foram testadas e a nossa população segue do mesmo jeito, enfrentando fome, enfrentando desemprego, enfrentando violência. Nós não precisamos apostar naquilo que já provou que não deu certo. Eu quero convidar vocês a fazer na Bahia a abolição que o Brasil nunca fez, a promover a fusão social de verdade para o nosso povo, a promover o direito a comer, direito a vida, é possível. Venha comigo vote 50, vote Kleber Rosa, ainda dá tempo, estamos na luta.

Leia mais sobre Eleições 2022 no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias.