TV

Rodrigo França abre o jogo sobre o 'BBB 19': 'Palavras cruéis'

Cientista Social esteve ao vivo no Facebook do iBahia, e falou sobre a experiência de ter participado da casa mais vigiada do país

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Na manhã desta quinta-feira (09), o ex-BBB Rodrigo França esteve ao vivo no Facebook do iBahia, e falou sobre a experiência de ter participado da casa mais vigiada do país. O cientista social ainda contou sobre as polêmicas, amizades e o apoio familiar que recebeu depois da sua eliminação. 

Legenda
Durante o bate-papo, os internautas interagiram com o professor e tiraram dúvidas sobre o confinamento. Um dos assuntos mais abordados na entrevista, foram intolerância religiosa e preconceito, temas que mesmo antes de entrar no Big Brother Brasil, Rodrigo afirma ter sofrido. 

"Infelizmente no Brasil acontece isso. De ser mandado para elevador de serviço, de perseguirem em loja, de esconder a bolsa quando passava na rua... Mas no Big Brother, como um reality show, ele mostra o que é velado na cara. Eu te abraço, te chamo de 'Rô', de amigo, mas no fundo por uma questão étnica racial, eu não gosto de você", desabafou. 


Ao sair da casa, Rodrigo teve acesso as imagens do programa e descobriu o que Paula e Maicon falavam a seu respeito. Abalado, o ex-BBB revelou que ficou surpreso com as falas dos seus colegas. "De uma certa forma, eu sempre falei lá dentro, que lá é uma microesfera pra uma macro que é aqui fora. Tudo que a gente encontra aqui fora, encontra lá dentro. Eu tive acesso em algumas falas cruéis e que eram gratuitas. Então, houveram falas criminosas e racistas. Eu tive uma grande surpresa, porque tudo foi falado por trás. É uma casa imensa, dividida em dois quartos, então a gente não tem noção de nada. É triste você abraçar uma pessoa e depois se limpar. Pra quê, né? A gente está em 2019", afirmou. 

França ainda pontuou que foi muito importante a amizade que construiu dentro da casa. "Formamos uma irmandade. Hana, Alan, Gabi, Rízia, Danrley e Elana são muito especiais. Se não fossem eles, eu não teria aguentado tanto tempo lá dentro", disse.

Confira na íntegra o bate-papo com Rodrigo França