Entretenimento

Rita Lee apresenta PIC NIC em Salvador

Após três anos sem cantar na Bahia, Rita Lee volta a Salvador para apresentação única no próximo dia 09 de agosto, na Concha Acústica do Teatro Castro Alves. O novo show, batizado de Pic Nic e lançado no começo desse ano, comemora 40 anos de carreira da cantora e seus 60 anos de vida. Além de uma canção inédita, “Tão”, Rita Lee canta sucessos de todas as fases de sua trajetória e também material que há muito tempo não toca ao vivo. As clássicas “Flagra”, “Jardins da Babilônia”, “Mutante”, “Bem me quer”, “Ovelha Negra” e “Saúde” não poderiam faltar. O espetáculo tem direção musical assinada por Roberto de Carvalho, que também toca guitarra e faz vocais de apoio. Sua banda ainda é formada por Beto Lee (guitarra e vocais), Breno Giuliano (baixo), Edu Salvitti (bateria), Allex Bessa (teclados), Débora Reis […]


29/07/2008 às 12h38

2 min de leitura

Após três anos sem cantar na Bahia, Rita Lee volta a Salvador para apresentação única no próximo dia 09 de agosto, na Concha Acústica do Teatro Castro Alves. O novo show, batizado de Pic Nic e lançado no começo desse ano, comemora 40 anos de carreira da cantora e seus 60 anos de vida. Além de uma canção inédita, “Tão”, Rita Lee canta sucessos de todas as fases de sua trajetória e também material que há muito tempo não toca ao vivo.

As clássicas “Flagra”, “Jardins da Babilônia”, “Mutante”, “Bem me quer”, “Ovelha Negra” e “Saúde” não poderiam faltar. O espetáculo tem direção musical assinada por Roberto de Carvalho, que também toca guitarra e faz vocais de apoio. Sua banda ainda é formada por Beto Lee (guitarra e vocais), Breno Giuliano (baixo), Edu Salvitti (bateria), Allex Bessa (teclados), Débora Reis e Rita Kfouri (vocais). O cenário tem oito painéis de leds e um telão central.

O roteiro do show traz vários momentos inusitados e performáticos. Um deles é na música “Vingativa”, do repertório das Frenéticas, com Rita ladeada por suas apetitosas vocalistas agitando leques vermelhos e interpretando a letra. Já a versão para ‘I want to hold your hand’, atribuída ao grupo Renato e Seus Blue Caps, é cantada em ritmo de forró típico. Outro bom momento é quando ela veste sobretudo numa introdução noir e um helicóptero ronca no telão em meio a paisagens urbanas.

Vigoroso e romântico, dançante e embalado, o show agrada o público que gosta da crème de la crème do rock brasileiro. Afinal, são quarenta anos de relevantes serviços prestados à música.