Bahia possui mais de 50 sítios arqueológicos


Mais de 50 municípios baianos possuem sítios arqueológicos que ajudam a desvendar muitos dos mistérios envolvendo os antigos habitantes do continente. Lá podem ser encontradas pinturas rupestres, gravuras em pedras, artefatos e fósseis e juntos compõem um verdadeiro acervo que proporciona uma viagem a um mundo que muitas vezes somente é possível no nosso imaginário. No Estado vários indícios da existência pré-histórica podem ser vistos em lugares na Chapada Diamantina, na região da Caatinga, no Cerrado e no Vale do São Francisco.

Muitas das pinturas levam a crer que foram feitas em épocas diferentes, – a exemplo das rupestres que alguns especialistas acreditam terem sido produzidas há cerca de 8 mil a 35 mil anos. Algumas cidades como Morro do Chapéu, Lençóis, Palmeiras, Iraquara e Wagner já desenvolvem projetos educativos que visam envolver a população a cerca da necessidade de se descobrir e preservar este patrimônio. A Serra das Paridas no município de Lençóis, possui um complexo com cerca de  18 sítios arqueológicos e está aberto a visitação.

O município de Central, a 118 km de Irecê, possui um museu a céu aberto. No Sitio Riacho Largo os desenhos de animais extintos, cenas de caça e dos rituais religiosos podem ter sido criados tem 12 mil anos. Vale uma atenção especial para a Toca da Esperança, um sítio arqueológico onde foi encontrada uma ferramenta chamada Chopper, que tem cerca de 300 mil anos. Este sítio é considerado o mais antigo das Américas.

Leia também
Conde e suas belezas naturais encantam baianos e turistas

Conheça cidade com menor população da Bahia