Curiosidade

Gil e seus tricolores: cantor diz que torce pelo Bahia, mas admite ter ‘afeição’ por outros cinco clubes 

Durante os 80 anos de sua vida – que estão sendo completados neste domingo, 26 de junho – Gil abriu espaço no coração para seis clubes de futebol

Cláudia Callado
26/06/2022 às 6h30

3 min de leitura
Foto: Reprodução / Twitter

Um torcedor ilustre é sempre motivo de orgulho para os clubes de futebol. Aqui na Bahia, Ivete Sangalo é sempre lembrada como uma das mais famosas torcedoras do Vitória. Assim como Wagner Moura. No lado do Bahia, nomes como Caetano Veloso, Claudia Leitte e Bell Marques são destacados. E Gilberto Gil, que também é tricolor, mas seu coração tem espaço para mais outros cinco times.  

Sim, é bem incomum, mas é real. Durante os 80 anos de sua vida – que estão sendo completados neste domingo, 26 de junho – Gil abriu espaço no coração para seis clubes de futebol, pelos quais diz ter muita “afeição”.  

O primeiro time, no entanto, parece ser mesmo o Bahia. Em entrevista ao podcast “Futebol Arte”, do ge.com, Gil contou que “além de torcer pelo Bahia” tem carinho por outros cinco times.

“Além de torcer pelo Bahia, eu me afeiçoei pelo Cruzeiro em Minas, pelo Grêmio no Rio Grande do Sul, talvez pela coisa tricolor como o Bahia, Fluminense, Santa Cruz e Santos. Era um pouco a coisa da época, talvez pela coisa do rádio. E pela influência que as grandes cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte tinham no imaginário brasileiro”, contou. 

Em 2021, as redes sociais do cantor também trouxeram a pluralidade futebolística de Gil à tona. “Além de torcer pelo @ECBahia, eu me afeiçoei por @Cruzeiro, @Gremio, @FluminenseFC, @SantaCruzFC e @SantosFC. Mas sou um torcedor discreto. Gosto de ir ao estádio e ficar quietinho, vendo o futebol”, disse o baiano. 

Como trata-se de um torcedor ilustre, é de se esperar que os times “simpatizantes” enfatizem esse carinho de Gilberto Gil. No ano passado, por exemplo, o Fluminense aproveitou os 79 anos do cantor para lembrar que ele é “tricolor de coração”.  

Hino eternizado 

A torcida de Gil pelo Bahia rendeu a gravação de uma das versões mais marcantes do hino do Tricolor. A versão foi gravada em parceria com Caetano Veloso, no cd Barra 69, ao vivo em Salvador. 

O cantor também gravou a música “Bahia Campeão dos Campeões”, para o disco “Doces Bárbaros Bahia”, oficial do clube. A canção, que tem como versão original um frevo eletrizado típico de Salvador, foi gravada por ele em ritmo de reggae.  

Leia mais sobre Esportes no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias.