Veja detalhes

Decisão sobre alíquota de importação de queijos beneficia produtores rurais, diz Sindileite-BA

Saiba detalhes da decisão através de um comunicado enviado pela categoria

Especial Publicitário
16/05/2022 às 17h05

4 min de leitura
Foto: Divulgação

O Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite da Bahia (Sindileite – Bahia), vem por meio desta destacar a atuação decisiva do deputado federal Cláudio Cajado (PP-Bahia), que assumiu, desde o dia zero, em março deste ano, a luta para reverter a abertura unilateral do mercado brasileiro de queijo muçarela, definida após a inclusão do produto na Lista de Exclusão da Tarifa Externa Comum (Letec). Esta decisão efetivamente zerou a alíquota de importação de 28,0% do principal queijo do Brasil, trazendo riscos incalculáveis para o setor e, ainda, expondo agroindústrias e produtores a concorrentes altamente subsidiados como Estados Unidos, Canadá e União Européia.

A defesa da pecuária familiar e da agroindústria nacional foi realizada com todos os instrumentos institucionais ao alcance do parlamentar, trabalhando diretamente com a Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, sensibilizando o Ministério da Economia acerca do impacto social da medida e dos riscos envolvidos para as incalculáveis famílias envolvidas na Cadeia Produtiva do Leite em todo o país.

Sua determinação e clareza foram de extrema importância junto ao ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Marcos Montes – mineiro, histórico defensor do setor lácteo nacional e aliado de primeira hora nesta luta – durante esclarecimentos sobre a influência mínima do queijo mussarela no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), no que diz respeito ao Ministério da Economia, em diálogo franco e técnico com o secretário executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys.

São mais de 1800 estabelecimentos queijeiros no Brasil (IBGE 2020), em sua imensa maioria pequenas e médias empresas da Inspeção Estadual e Municipal, diretamente empenhadas na coleta do leite do pequeno produtor familiar, responsáveis em última análise pela manutenção do meio de vida dessas famílias na zona rural. Todos nós agradecemos à sensibilidade social do Governo Federal neste pleito e novamente destacamos a importância da liderança do Deputado Cláudio Cajado na defesa do setor lácteo nacional.

O Congresso Nacional também se destacou pela busca de alternativas à abertura irrestrita, e agradecemos também aos Deputados Federais Reginaldo Lopes, PT-MG, Helder Salomão, PT-ES e especialmente ao Deputado Federal Zé Neto, PT-BA pela defesa intransigente da Cadeia Produtiva do Leite através do Projeto de Lei 74/22 e pela atuação firme na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria Comércio e Serviços, destacando em plenário toda a luta da cadeia do leite contra a importação desmedida.

A luta conjunta com a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), com apoio do seu presidente Antônio Alvarez Alban, e a ação determinante de Robson Andrade, Presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), somaram-se, também, à posição clara dos Senadores Luis Carlos Heinze, Progressistas/RS, Senador Esperidião Amin, Progressistas/SC e o Dep. Federal Vitor Hugo, PL/GO, junto ao Ministério da Economia. A jornada também se apoiou na efetividade técnica e política, mais uma vez da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), na luta incansável do presidente da entidade, o doutor João Martins, baiano e defensor de primeira hora da cadeia produtiva que mais emprega no Brasil.

Nós, do campo, do leite, da segurança alimentar, da agroindústria e da agropecuária familiar agradecemos a vocês.

Leia mais sobre Brasil no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias