Após quebrar recorde, Alisson quer se firmar na seleção


A entrada de Alisson na partida contra a Venezuela causou surpresa e dividiu opiniões de torcedores e boa da imprensa. Aos 23 anos, o jogador do Internacional disputou seu primeiro clássico contra a Argentina na última sexta-feira (13) e vê sua titularidade cada vez mais consolidada no time de Dunga, barrando o experiente Jefferson e deixando Cássio, do Corinthians, no banco de reservas.

Para completar o bom momento de Alisson, ele quebrou o recorde de Taffarel e se tornou o goleiro mais jovem a defender o Brasil nas eliminatórias. Coincidência ou não, ele é da mesma escola e um dos pupilos do agora preparador de goleiros da seleção. 
“Eu me lembro de poucas coisas da Copa de 98, principalmente das decisões por pênaltis, mas meu pai e meu irmão são muito fãs do Taffarel, então ele virou meu ídolo, mesmo sem que eu o tenha visto jogar. Todos em minha volta o exaltavam demais, até porque ele jogou na mesma equipe que eu e teve grande história na Seleção. Espero repetir o que ele fez, ou conseguir até mais” afirmou o goleiro.

Camisa 23, Alisson quer se firmar de vez no time titular brasileiro (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

Desde que voltou à seleção brasileira, depois do fracasso na Copa do Mundo de 2014, Dunga ainda não encontrou o goleiro ideal. Quem mais jogou com o treinador Jefferson, do Botafogo, mas que perdeu posição depois da falha na derrota para o Chile e que acumula críticas por atuar na Série B do Brasileirão. Um dos preferidos do treinador, Diego Alves, do Valência, se machucou e só volta aos gramados no próximo ano. Já Marcelo Grohe, do Grêmio, ficou por fora da última convocação por conta de uma lesão no ombro. 

“A disputa pela camisa 1 da Seleção é muito acirrada, há grandes goleiros do meu lado, o Jefferson e o Cássio, o Marcelo (Grohe) e tantos outros que vêm se destacando. Isso é importante para crescer o nível”, afirmou Alisson. 
“Sou jovem ainda, tenho muita coisa para viver, já vivi algumas importantes, como decisões de Libertadores, mas até hoje nada se comparou a esse jogo. É diferente de todos os outros”, disse o goleiro que vai ganhar mais uma chance nesta terça-feira (17), durante a partida contra o Peru, na Arena Fonte Nova.
Correio24horas