Fifa

Blatter e Platini são absolvidos em julgamento por corrupção na Suíça

Ex-presidentes da Fifa e da Uefa eram acusados de desvio de R$ 10 milhões, caso enterrou sonho de Platini de assumir a cadeira do órgão máximo do futebol internacional

Agência O Globo
09/07/2022 às 0h01

2 min de leitura
Foto: Divulgação / Agência Lusa

O ex-presidente da Fifa, Joseph Blatter, e o ex-presidente da Uefa, Michel Platini, foram absolvidos nesta sexta-feira por uma corte da Suíça que os julgou por corrupção.

Em silêncio, os dois acusados, que se declararam inocentes, ouviram a leitura do veredicto do processo, pelo qual poderiam ter sido condenados a cinco anos de prisão. O Tribunal Penal Federal de Bellinzona não seguiu as recomendações da Promotoria, que havia solicitado em junho pena de um ano e oito meses de prisão com suspensão condicional.

Em 2011, quando ocupavam esses cargos, Blatter fez um pagamento de 2 milhões de francos suíços (cerca de R$ 10 milhões hoje) para Platini, a título de “consultoria”.

Na acusação, o Ministério Público da Suíça argumentou que essa transferência se deu “sem base legal” e que serviu para “enriquecer ilegalmente Platini” às custas da Fifa. – Platini pode recuperar os 2 milhões de francos.

“Um tribunal neutro constatou que nenhum crime foi cometido neste caso. Meu cliente está completamente absolvido e aliviado por isso”, disse Dominic Nellen, advogado de Michel Platini.

Na época, Platini era considerado o sucessor natural de Blatter, presidente da Fifa desde 1998. A publicação do caso em 2015 acabou com a carreira dos dois como dirigentes de futebol.

Blatter renunciou à presidência da Fifa e depois foi banido pelo Comitê de Ética da entidade. Platini também foi banido do futebol, mas sua pena foi reduzida pelo CAS – e termina neste ano.

Leia mais sobre Esportes em iBahia.com e siga o portal no Google Notícias