Candidato à presidência do Vitória, Victor Mendes diz que é preciso rever seleção de atletas da base e defende programa de intercâmbio


Foto: Reprodução / ge.com

O candidato à presidência do Vitória Victor Mendes, da chapa Movimento Novo Vitória, foi entrevistado nesta terça-feira (13) por jornalistas do Globo Esporte Bahia, do iBahia e do Correio. A sabatina foi mediada por Gustavo Castellucci, com duração de 30 minutos.

Durante a entrevista, o candidato falou sobre a situação da divisão de base do Vitória e defendeu uma reformulação na área. “Nosso clube tem um modelo antigo e defasado, a peneira. Seleção com 1.500 crianças em três, quatro horas… Ninguém vai conseguir selecionar direito. A gente precisa rever a forma de seleção destes meninos”, disse.

Mendes afirmou que, caso seja eleito, fará um intercâmbio de “promessas” para fortalecer a base do clube. “A gente tem insistido na necessidade de ter um programa de intercâmbio. Vamos procurar quem é a referência de futebol no mundo, que hoje está na Europa”.

Próximas sabatinas

Na quarta, será a vez de José Guerra, das 14h às 14h30; Ângelo Alves está marcado para quinta, das 14h às 14h30; e Fábio Mota passará pela sabatina na sexta, das 14h às 14h30.

Victor Mendes concorre pela chapa Movimento Novo Vitória e tem como vice-presidente Jailson Reis. Baiano de Salvador, o candidato tem 46 anos, é formado em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e obteve os títulos de mestrado e doutorado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Empresário, também chegou a atuar como professor universitário.

Confira outros trechos da sabatina de Victor Mendes:

Falta de experiência no futebol

Por isso Fábio Mota, que não tinha nenhuma experiência com futebol, conduziu o clube aonde estamos. Série C, eliminação no Campeonato Baiano… E patinando na Série C. A gente tem dialogado muito com a indústria do futebol para que possamos assumir o clube tão logo sejamos eleitos. O clube não suporta mais aventura. Estamos vivendo uma grande aventura. Essa gestão de transição não planejou nada”.

Iniciativas inovadoras

“A gestão tem que ter um tripé, que envolve futebol, relação com sócio e marketing e gestão. Falando apenas sobre futebol, nossa base precisa sr reformulada. Os meninos precisam ter monitoramento por GPS, nosso clube não tem utilizado. Não estamos caminhando para a inovação, estamos atrasados. Vamos incorporar intercâmbio de atletas e profissionais na base. Vamos espalhar escolinhas de futebol pelo Brasil”

Imagem para o mercado

“A força da nossa instituição tem em toda a sociedade. Não há outra forma hoje, num mundo empresarial, que não seja por relações transparentes, com correção e informações precisas e corretas. A atual gestão tem alardeado que tem R$ 8 milhões de patrocínio para o clube. No nosso levantamento, temos R$ 2,8 milhões. Essas imprecisões criam relações turbulentas nas contratações’

Problemas financeiros

“A questão financeira do clube passa, primeiro, por começarmos a fazer as coisas certas. Primeiro movimento, ter um clube com forte governança; segundo, trazer sócios, valorizar nosso estádio, monetizar, num movimento orgânico; por fim, o terceiro movimento é trazer fundos de investimentos para o nosso clube”.

Divisão de base

“Acompanhar, ano a ano, o desenvolvimento desses meninos, para que eles tenham condições físicas, técnicas e táticas de passarem para o profissional. Isso passa também pela seleção dos atletas. Nosso clube tem um modelo antigo e defasado, a peneira. Seleção com 1.500 crianças em três, quatro horas… Ninguém vai conseguir selecionar direito. A gente precisa rever a forma de seleção destes meninos”.

Programa de intercâmbio

“A gente tem insistido na necessidade de ter um programa de intercâmbio. Vamos procurar quem é a referência de futebol no mundo, que hoje está na Europa. Precisamos buscar essa referência, estabelecer parcerias e ter intercâmbio de atletas com clubes da segunda divisão de Portugal e Espanha, intercâmbio de atletas e profissionais. Queremos valorizar os meninos, para que tenham condições de ter bom desempenho”

Manutenção de João Burse

“Evidente que há muita confiança de que podemos subir e subir campeões. Neste cenário, nosso técnico para 2023 é o João Burse. Em relação ao departamento de futebol, teremos um planejamento anual. A gente passou de outubro até abril, seis meses, sem um diretor de futebol. E você veja o custo que isso teve ao nosso clube, tanto desportivo, mas financeiro”

Considerações finais

“Amigo torcedor, estamos chegando neste momento de eleição. É o momento da democracia do clube, jovem. Temos nos colocado como uma alternativa responsável, preparada. Temos apoio de diversos rubro-negros históricos e também de uma juventude que chega cheia de sonhos para o nosso clube. Trago uma mensagem de alegria e esperança”.

Leia mais sobre Esportes no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias

Veja também: