Centroavantes da dupla BaVi tentam renascer após um 2013 ruim


Camisa 9 vive de gols e, nesse quesito, esses dois aí de cima ficaram em débito no ano passado. Rafael Gladiador e Pedro Oldoni só balançaram as redes adversárias uma única vez durante a temporada 2013. 
A partir de hoje, no entanto, os centroavantes tentam escrever uma nova história com as camisas de Bahia e Vitória, respectivamente, na estreia da Copa do Nordeste. Enquanto o tricolor vai a Maceió encarar o CSA, o rubro-negro recebe o América-RN, no Barradão. 
Pelo lado azul, vermelho e branco, Rafael Gladiador, revelado nas categorias de base do clube, espera, enfim, acabar com o rótulo de eterna promessa. Artilheiro do time vice-campeão da Copa São Paulo de 2011, com cinco gols, o jogador de 21 anos avisa. “Está na hora de esquecer um pouco o passado e olhar para frente. A expectativa é muito boa. Quero aproveitar essa oportunidade, me firmar e ajudar o time”, diz o garoto, que tem contrato até março de 2015. 

Depois de ter feito 42 jogos e dez gols no profissional do Bahia, Rafael foi emprestado ao DC United, dos Estados Unidos, ano passado. Por lá, fez somente sete jogos e um gol, no dia 23 de março, na derrota por 2×1 diante do Columbus Crew. Após isso, retornou ao Brasil e disputou a Série B pelo Atlético Goianiense. Foram só quatro partidas e nenhum gol. “Estou com saudade de marcar gols. Apesar de não ter jogado muito, ganhei experiência com o empréstimo. Volto mais maduro, sabendo o que preciso fazer”, afirma ele, para depois finalizar. “Só o trabalho irá resolver”. 
Oportunidade A situação de Pedro Oldoni é semelhante. No ano passado, o único gol feito aconteceu no triunfo de 3×1 do Vitória sobre a Ponte Preta, pela Série A. Naquela ocasião, quebrou um jejum de dois anos e quatro meses sem marcar. O último gol tinha acontecido em 2010, quando defendia as cores do Nacional, clube de Portugal. Nesse período, passou por duas cirurgias de ligamento no joelho direito e uma no esquerdo. 
Com oito jogos em 2013, o grandalhão de 1,91m pretende chutar a desconfiança para bem longe. “Agora, 100%, espero ajudar o Vitória a conseguir os títulos, tanto o da Copa do Nordeste quanto o do Baiano”, comenta o jogador, que ganhou a oportunidade de Ney Franco graças a uma lesão de Dinei, que volta em fevereiro.
A Copa do Nordeste será um teste e tanto para o centroavante, afinal, o contrato foi renovado somente até junho. Começar com tudo será fundamental para a sequência na temporada. “Espero um ano de 2014 melhor que o de 2013. Quero fazer minha parte, que é marcar muitos gols”. 
Vale lembrar que, assim como os dois atacantes, a dupla Ba-Vi também não teve um bom desempenho em 2013, ao menos na Copa do Nordeste. Enquanto o Bahia caiu na primeira fase, o Vitória foi eliminado nas quartas de final. 

*Matéria original: jornal Correio
Centroavantes de Bahia e Vitória tentam renascer após um 2013 ruim