Menu Lateral Menu Lateral
iBahia > esportes > mundial feminino 2023
CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Baiana no comando

Capitã da Seleção, zagueira Rafaelle sonha com título inédito

Jogadora iniciou carreira no São Francisco (BA) e atualmente está no Orlando Pride, dos Estados Unidos, ao lado de Marta

Redação iBahia • 01/08/2023 às 19:15 • Atualizada em 01/08/2023 às 20:43 - há XX semanas

Google News siga o iBahia no Google News!

				
					Capitã da Seleção, zagueira Rafaelle sonha com título inédito
Foto: Reprodução / Redes sociais

A busca pelo primeiro título mundial da Seleção Brasileira Feminina de futebol tem em uma baiana um dos pilares. Estamos falando da zagueira Rafaelle Souza, de 32 anos, jogadora do Orlando Pride, dos Estados Unidos.

Nascida na cidade de Cipó, a 208km de Salvador, Rafaelle deu os primeiros passos na vida esportiva no tradicional time do São Franciso, do município de São Francisco do Conde. A atleta também passou pelo Ole Miss Rebels (EUA), Houston Dash (EUA), América-MG, Chanchum Dazhon (CHINA), Palmeiras e Arsenal (INGLATERRA).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Leia mais:

Atualmente, ela retornou aos Estados Unidos para defender o Orlando Pride, clube da Flórida (EUA) e que também tem no elenco a brasileira Marta, considerada por muitos a maior jogadora de todos os tempos. Adriana também faz parte do elenco do time americano.


				
					Capitã da Seleção, zagueira Rafaelle sonha com título inédito
Foto: Reprodução / Redes sociais

A nível de Seleção, Rafaelle já coleciona ótimos momentos com a 'Amarelinha'. Ela foi campeã da Copa América duas vezes, em 2018, quando chegou a marcar um gol na goleada de 8x0 sobre o Equador, e em 2022, quando assumiu a braçadeira de capitã no lugar de Marta e foi responsável por erguer a taça após o Brasil vencer a Colômbia por 1x0.

Apesar de já poder contar boas histórias com essa camisa, Rafaelle, claro, continua em busca do maior título de todos: o da Copa do Mundo.


				
					Capitã da Seleção, zagueira Rafaelle sonha com título inédito
Foto: Thais Magalhães | CBF

A expectativa da camisa 4 para o mundial deste ano é grande, já que é mais uma chance de fazer do talento individual uma ferramenta capaz de conquistar um sonho coletivo.

"São mais de 15 anos defendendo a Seleção. Olimpíadas, Copa do Mundo, vários torneios em diferentes continentes. Eu vi e vivi muitas coisas e sempre esperei por esse momento. Jogar essa Copa do Mundo vai muito além do presente, é o futuro. O nosso futuro é agora!", declarou, quando foi convocada pela técnica Pia Sundhage.

O próximo desafio que definirá esse futuro é contra a Jamaica, nesta quarta-feira (2), às 7h, no Hindmarsh Stadium, em Adelaide, na Austrália. É a última partida da fase de grupos e o Brasil precisa vencer para garantir uma classificação tranquila para a próxima fase, sem precisar torcer por outros resultados.

Venha para a comunidade IBahia
Venha para a comunidade IBahia

TAGS:

RELACIONADAS:

MAIS EM MUNDIAL FEMININO 2023 :

Ver mais em Mundial Feminino 2023