Futebol

Justiça determina penhora da taça do Mundial do Corinthians

O mandatário do clube garantiu que o clube vai lutar para não perder o troféu conquistado em 2012

- Atualizada em

Redação Goal

Juiz da 3ª Vara Cível de São Paulo, Fernando Nardelli expediu nesta quinta-feira (08) um mandado de penhora e avaliação da Taça do Mundial de Clubes conquistada em 2012 pelo Corinthians.

Segundo matéria publicada no GloboEsporte.com, a decisão judicial foi tomada em defesa do Instituto Santanense de Ensino Superior, que cobra uma dívida de R$ 2,48 milhões do clube paulista. A instituição processou o Alvinegro há dez anos, alegando que o Timão dificultava o acesso de alunos e funcionários ao campus que funcionava no Parque São Jorge. Na época, o clube foi condenado a indenizar o requerente, mas jamais quitou o valor.

Sem ter conseguido receber parte do valor da venda do meia Rodriguinho para o Pyramids FC, do Egito, a instituição então pediu a penhora da taça do Mundial, que é exposta no Memorial do clube. Se o débito não for quitado, a taça poder ir à leilão.

Presidente do Corinthians, Andrés Sanches classificou a decisão como midiática em entrevista coletiva concedida nesta quinta: “Em 48 horas vamos resolver, sem problemas, não tem mais acordo, vamos pagar e depois esperar o processo para receber nossa parte. Mas é uma ação midiática, os advogados devem torcer para outro time e fizeram isso. Temos terrenos, ônibus, patrimônios, quanto vale a taça no valor financeiro? Mas é direito deles, vamos resolver”.

Andrés ainda aproveitou para cutucar rivais: “Pelo menos o Corinthians tem taça de Mundial, duas, para penhorar, né? Temos terrenos, ônibus, carros, patrimônios, mas quiseram a taça do Mundial, é provado que o Corinthians tem dois Mundiais, e quiseram isso. É um processo desde 2005 ou 2006, não lembro, era uma faculdade que tinha no Parque São Jorge, teve um rompimento, as duas partes entraram na Justiça, tanto a faculdade como o Corinthians, eles têm a receber e nós também. Estamos há dois meses negociando um acordo, estava bem adiantado, mas infelizmente os advogados queriam uma nota midiática e fazer esse negócio da taça”.