Precisando "chegar duro" para fugir do Z-4, Tricolores prometem lealdade


Fabinho e Souza pregam lealdade em campo na Vila

Enquanto o Bahia tem duas rodadas para se livrar do rebaixamento, o Santos não está nem aí para o Brasileirão. O Peixe está mesmo de olho no Mundial de Clubes, que acontece em dezembro, no Japão. Preocupando-se com possíveis lesões, o alvinegro poupou os atletas de algumas partidas nesta reta final da Série A. Porém, a equipe terá força máxima contra o Tricolor, domingo (27), na Vila. Apesar da pressão de conselheiros santistas, Neymar, Ganso e cia estarão em campo e os jogadores do Bahia prometem lealdade em campo.

Ciente da diferença dos momentos de cada equipe, o atacante Souza admite que a vontade do elenco tricolor é maior, mas isso não significa ser maldoso. “A gente está brigando pra não cair, a gente vai fazer o máximo, vai dividir bola que tem que dividir, a que tem que cabecear vai cabecear, se tiver que chutar nós vamos chutar… Logicamente que a gente não vai machucar ninguém. A gente não admite isso, isso não é legal com um companheiro de profissão, mas que a gente vai chegar um pouco mais duro, nós vamos chegar”.

O volante Fabinho segue a mesma linha e garante que ninguém vai para Santos com más intenções. “Futebol é um esporte de contato, desde que você não tenha que ferir ou tirar algum atleta de campo. Você tem que jogar duro, jogar na bola. O Bahia não vai pra lá pensando em dar porrada, vai lá para jogar futebol. Tem um árbitro que vai conduzir isso. A gente respeita todo mundo, a integridade… Até porque nós também somos atletas. Ninguém do Bahia aqui é covarde, vamos lá fazer um bom jogo e impor nosso ritmo”.

Tabela – Com 42 pontos, o Bahia é o 15º colocado na tabela do Brasileiro e se livra da degola com apenas um triunfo. Na última rodada, a equipe comandada pelo técnico Joel Santana enfrenta o Ceará, em Pituaçu. Mesmo se não vencer uma das duas partidas, há chance de permanecer na Série A. Já o Santos está acomodado no 10º lugar, com 52, e encerra a participação no torneio contra o São Paulo, mas com o time reserva.