Nova bandeira LGBTQIA+ inclui símbolos trans, intersexo e antirracista


Foto: Reprodução

A bandeira LBTQIA+ mudou e recebeu novidades que incluem o símbolo da comunidade intersexo, que são pessoas que não se enquadram na definição biológica de masculino e feminino, as cores do orgulho trans e as listras que representam a luta antirracista.

O redesenho da bandeira foi lançado oficialmente no brasil no dia 27 de novembro, durante a 27ª Parada do Orgulho LGBTQIA+ de Copacabana, no Rio de Janeiro.

A bandeira foi atualizada após quatro anos de discussão. Em 2018, Daniel Quasar, designer não-binário, incluiu as cores que representam a comunidade e os símbolos do movimento que luta contra o racismo. O desenho incluiu as adições em setas, simbolizando o progresso.

Em 2021, a bandeira foi novamente atualizada, desta vez pela designer ítalo-britânica Valentino Vecchietti. Ela incluiu o símbolo do orgulho intersexo.

A tradicional bandeira do arco-íris foi lançada pelo designer Gilbert Baker em 1978, para o Dia da Liberdade Gay de São Francisco, na Califórnia, com objetivo de promover a diversidade.

Originalmente, a bandeira contava com oito cores que representavam aspectos diferentes: rosa – sexualidade, vermelho – vida, laranja – cura, amarelo – luz do sol, verde – natureza, turquesa – magia/arte, anil – harmonia/serenidade, violeta – espírito humano. Posteriormente, as cores foram reduzidas para seis, sem o rosa e anil.

Leia mais sobre Brasil no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias.