Jackson Costa apresenta 'A Coisa' em noite de música na Flica


“É a mesma coisa e não é a mesma coisa. Ela se modifica à medida que evolui”, contou o ator, pouco antes de sua performance na Praça da Aclamação (Foto: Egi Santana/Divulgação)

“A Coisa sou eu”, afirmou categoricamente Jackson Costa, artista com 30 anos de carreira, que participou da primeira noite de festas na Praça da Aclamação, com o show-espetáculo ‘A Coisa’. Jackson participa da Flica pelo terceiro ano, nos outros dois ele mediou mesas e, desta vez, se apresentou na praça da cidade.‘A Coisa’ foi a segunda atração da noite e sucedeu a apresentação do Transcendental, grupo afrobarroco, influenciado pelas sonoridades dos candomblés, aliadas aos cânticos de Igrejas Barrocas. O ator contou da alegria de participar da primeira noite musical da Flica. “Comecei há trinta anos numa praça pública, eu estou na minha casa”, disse, falando sobre a afinidade em mostrar seu trabalho na rua.

O grupo afrobarroco Transcendental também se apresentou no primeiro dia de shows da Flica 2014 (Foto: Egi Santana/Divulgação)

Apesar de ser acompanhado por uma banda, Jackson lembra que ‘A Coisa’ não é um show ou um espetáculo musical. “Não é uma coisa nem outra, não é nem teatro nem música, não é um teatro musical, não é show, é uma coisa”, declarou. Durante o espetáculo, o artista declama poemas de Gregório de Mattos, Castro Alves, Fernando Pessoa, Augusto dos Anjos, Carlos Drummond de Andrade, José Delmo, Ramon Vane, entre tantos outros. Quem não conferiu ‘A Coisa’ na Flica, pode ficar tranquilo, porque o espetáculo, que está na estrada há mais de dez anos, entra em cartaz no Espaço Caixa Cultural, no dia 5 e segue até 9 de novembro. As sessões acontecem de quarta-feira a sábado, às 20h, e no domingo, às 19h. Os ingressos para todas as apresentações começam a ser vendidos a partir das 9h do dia 5 de novembro e custam R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia).