Mundo

Mau tempo pode ter causado queda de helicóptero no México, diz Calderón

Presidente mexicano comentou o acidente que matou 7. Francisco Blake tinha papel central em luta contra narcotráfico no país

- Atualizada em

O presidente do México, Felipe Calderón, afirmou que a queda do helicóptero que levava membros do governo pode ter sido causado pelo mau tempo na região da Cidade do México. "As condições climáticas nebulosas na hora do acidente certamente nos fazem pensar sobre a probabilidade de um acidente", disse em um comunicado televisionado.


Mesmo assim, segundo Calderón, "haverá investigações exaustivas sobre as circunstâncias em torno do acidente fatal".


O ministro do Interior do México, Francisco Blake, morreu na queda do helicóptero em que viajava nesta sexta, informou o governo. Outras sete pessoas, entre assessores e tripulantes, morreram, segundo Alejandra Sota, porta-voz do governo.


Blake ia da capital até a cidade de Cuernavaca, no estado de Morelos, ao sul da Cidade do México. Também estavam na aeronave o subsecretário Felipe Zamora e o chefe de comunicação da pasta, José Alfredo García. O ministro ia participar de uma reunião de procuradores na cidade, segundo a imprensa.


Canais mexicanos mostraram os destroços do helicóptero acidentado em uma região montonhosa da Cidade do México. As autoridades ainda não esclareceram o motivo da queda.


"Neste momento, estão sendo avaliadas todas as possíveis causas que levaram a este incidente muito infeliz", disse uma porta-voz do governo, vestida de luto.


É o segundo secretário de governo, uma posição-chave no governo do México e equivalente a um ministro do Interior, encarregado das negociações com a oposição e desenho da estratégia de segurança nacional, a morrer em um acidente aéreo durante a gestão de Calderón.


Em 4 de novembro de 2008, o pequeno avião em que viajava o então secretário de governo, Juan Camilo Mouriño, caiu quando ele chegava à Cidade do México. Também morreu no acidente o promotor antidrogas José Luis Santiago Vasconcelos.


A perícia deste desastre concluiu que foi um acidente resultante da imperícia dos pilotos, mas foram levantadas suspeitas sobre se teria sido um ataque contra o governo, que empreende uma campanha desde 2006 contra os cartéis de drogas, deixando mais de 45 mil mortos.


Os mercados mexicanos reagiram à notícia. O peso perdia ganhos enquanto a bolsa diminuiu o seu avanço.