Morre suspeito de atirar e matar jornalistas nos EUA


Vester Lee Flanagan II, 41 anos, o homem que matou dois jornalistas de uma emissora filiada à rede norte-americana CBS morreu na tarde desta quarta-feira (26), após atirar em em si mesmo na rodovia interestadual 66, na Virgínia (EUA), de acordo com autoridades locais.Ele trabalhou como repórter mesma emissora das vítimas entre 2012 e 2013, onde usava o nome artístico de Bryce Williams. O rapaz foi colega de trabalho das vítimas, a repórter Alison Parker, 24 anos, e o cinegrafista Adam Ward. Em seu Twitter, logo após o tiroteio, Bryce acusou os ex-colegas de trabalho de racismo.

“Vester era um homem infeliz. Nós o contratamos como repórter, e ele tinha algum talento e experiência nesse aspecto”, disse o gerente da emissora para o Buzzfeed News.

“Ele rapidamente ganhou uma reputação de ser uma pessoa difícil de se trabalhar. E estava sempre procurando por pessoas que dissessem coisas que ele pudesse se ofender. Depois de muitos acidentes envolvendo brigas, nós os dispensamos. Ele não lidou bem com isso, e tivemos de pedir que a polícia o retirasse das premissas”, revelou o representante.

Em 2000, o jornalista também processou a emissora WTWC-TV por discriminação. No processo, ele disse que os colegas de trabalho o chamaram de “macaco” e sugeriram que ele tinha sido contratado como forma de inclusão social. O processo foi encerrado com um acordo em 2011.  

Uma terceira pessoa, a empresária Vicki Gardner, da Câmera do Comércio da região, também ficou ferida durante o crime. Ela foi baleada nas costas e passa por cirurgia, mas o estado de saúde da vítima ainda não foi divulgado.

Entenda o caso

O ataque aconteceu na manhã desta quarta-feira (26), por volta das 6h45 (horário local). A repórter Alison Parker entrevistava a empresária Vicki Gardner quando um atirador abriu fogo. No vídeo, é possível ouvir os tiros e a dupla à frente da câmera correndo enquanto as mulheres gritavam.

O atirador fugiu após disparar ao menos seis tiros. A ação foi filmada pelo cinegrafista. No vídeo, a câmera que acompanhava os repórteres cai no chão e captura a imagem de um homem vestindo calças pretas e uma camisa azul e parece estar segurando um revólver.

Em seguida, a transmissão retorna para o estúdio onde a âncora da emissora WDBJ, Kimberly McBroom, aparece em estado de choque. A ação foi filmada pelo cinegrafista Adam Ward. Ele e a repórter não resistiram aos ferimentos e morreram.

[youtube iEH9RBxefHI]

“Nossos corações estão partidos”, comentou o presidente e diretor geral da emissora WDBJ, Jeff Marks. A repórter Alison Parker namorava um outro jornalista que trabalha na mesma empresa.

“Estávamos juntos há quase nove meses. Foram os melhores nove meses das nossas vidas. Queríamos nos casar. Acabamos de celebrar seu aniversário de 24 anos”, escreveu o âncora Chris Hurst em seu Twitter. Já Adam Ward estava de casamento marcado com uma outra produtora do jornal, e planejava deixar o jornalismo.