Nem Te Conto

Cacau Potássio é vítima de racismo durante filmagem

O caso aconteceu durante a filmagem de cenas do filme 'Juntos e Enrolados', no quartel central da corporação, no último fim de semana

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Até quando? Nesta quarta-feira (27), Cacau Protásio usou seu Instagram para se posicionar sobre áudios divulgados em pelo colunista Leo Dias, em que bombeiros do Rio de Janeiro ofendem a atriz.  O caso aconteceu durante a filmagem de cenas do filme 'Juntos e Enrolados', no quartel central da corporação, no último fim de semana. 

Foto: reprodução

Em uma das gravações, um homem diz: "Olha a vergonha no pátio do quartel central. Essa mulher do 'Vai que Cola', aquela gorda, colocou a farda e botou os dançarinos viados com roupa de bombeiro. Isso é um esculacho, rapaz".

Em outro áudio, um dos presentes faz comentários homofóbicos: "Vergonhoso. Mete aquela gorda, preta, fdp numa farda de bombeiro, uma bucha de canhão daquela, com um monte de bailarino viado, quebrando até o chão. Vão achar que é o que? Bombeiro? Aquilo é tudo viado. Lamentável".

A atriz se pronunciou através de vídeo no Instagram. "E ele espalhou o vídeo com um áudio me chamando de negra, gorda, fdp, aquela cambada de v... Racismo é preconceito se vocês não sabem, se ele não sabe, e isso é muito triste, não entendi por que tanto ódio (...) Sou negra, sou gorda, sou brasileira, sou atriz, eu conto histórias, conto ficção. Não mereço ser agredida".

O outro lado

A assessoria de imprensa do CBMERJ se pronunciou. Em nota emitida à Vogue, nesta quarta-feira (27.11), disse:

"O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) informa que não compactua com qualquer ato discriminatório. A corporação se solidariza com a atriz Cacau Protásio e já abriu procedimento interno para identificar o(s) militar(es) e apurar a conduta.

O CBMERJ reforça o seu compromisso com a população de Vida Alheia e Riquezas Salvar independente de cor, gênero, raça ou qualquer outra distinção. Os atos divulgados não representam a corporação centenária que, por anos seguidos, é considerada a instituição mais confiável do Brasil".