Assédio sexual

Passageiras denunciam casos de dopagem em aplicativos de viagens com produtos químicos jogados no ar

Vítimas contam que produto utilizado se assemelha a benzina e thinner

Redação iBahia
14/05/2022 às 14h36

3 min de leitura
Foto: Reprodução / Canva

Os relatos de duas mulheres que afiram terem sido dopadas durante uma viagem em um carro de aplicativo, viralizaram nas redes sociais na última sexta-feira (13).

No desabafo feito no Instagram, uma jovem de 32 anos conta que um motorista da plataforma 99 Táxi, tentou dopá-la em uma viagem da Vila Mariana até Pinheiros, em São Paulo.

A moça conta que entrou no carro já atenta porque a situação tinha acontecido alguns dias antes com uma conhecida.

Segundo a jovem, a viagem começou com ambos os vidros abertos, até que após quase 2km de viagem, o motorista olhou para trás tentando olhar o que ela fazia no banco e fechou o vidro dele.

“Senti um cheiro que foi só aumentando. Um cheiro forte de produto químico, tipo benzina, thinner, loló, afins. Eu ainda pensei que isso não poderia estar acontecendo, passou rápido pela minha cabeça se eu estivesse ansiosa (eu não tenho crises nem problemas com isso), ou que o cheiro poderia vir de fora”.

Foto: Reprodução/ Instagram

Porém, o cheiro continuou forte, segundo o relato da moça e a viso começou a ficar turva. A atitude da jovem foi de pedir para parar o carro e descer dele. “Ele ficou perguntando o que estava acontecendo (claramente ele estava mentindo). Eu saí do carro, fiz uma foto e me afastei porque tive medo”.

Outro relato veio de uma jovem que utilizou o Uber. A moça descreveu a mesma história que a anterior, e a fuga dela foi com o carro ainda em movimento.

“Senti o cheiro forte e imediatamente a pressão na cabeça, a visão turva e a falta de ar. Exatamente como os outros relatos que li. Eu ia desmaiar. Consegui sair a tempo mas eu tava numa auto-estrada e corria risco de todas as formas. Consegui ajuda com moradores de uma comunidade na beira da estrada e, enfim, agora tô segura”.

Por meio de nota, a 99 lamentou o ocorrido e afirmou que repudia qualquer forma de assédio. A empresa ainda disponibilizou um contato para que as passageiras denunciem episódios similares, caso venham a acontecer.

“A 99 lamenta profundamente o ocorrido com a passageira. Assim que tomamos conhecimento, bloqueamos o motorista e mobilizamos uma equipe que está em contato com ela para acolhimento e suporte necessários.

Ressaltamos que a empresa não tolera e repudia qualquer forma de assédio. Investimos constantemente em ferramentas de segurança para a prevenção, proteção e acolhimento de todos os usuários, principalmente para as passageiras. Entre as medidas estão a opção de compartilhar rota com contatos de confiança, monitoramento da corrida, gravação de áudio e botão para ligação direta para a polícia.

Passageiras que tenham experienciado essa situação devem reportar imediatamente para a empresa, por meio de seu app, ou no telefone 0800-888-8999 para que as medidas cabíveis sejam tomadas. Trabalhamos 24 horas por dia, 7 dias por semana, para cuidar da proteção e suporte dos usuários.”

Leia mais sobre Brasil no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias

Recomendamos