Menu Lateral Menu Lateral
iBahia > notícias > segurança
CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Whatsapp Whatsapp
'Operação Hybris'

PMs suspeitos de integrar milícia são suspensos de funções na BA

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos contra os PMs nesta terça (9). A esposa do chefe de uma facção criminosa foi presa durante operação

Iamany Santos • 09/04/2024 às 13:17 • Atualizada em 09/04/2024 às 20:57 - há XX semanas

Google News siga o iBahia no Google News!

                              
                                 PMs suspeitos de integrar milícia são suspensos de funções na BA
PMs suspeitos de integrar milícia são suspensos de funções na BA. Foto: Divulgação

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos contra cinco policiais militares, na manhã desta terça-feira (9), em Feira de Santana, a 100 quilômetros de Salvador. Os PMs são suspeitos de envolvimento em um grupo miliciano especializado em lavagem de dinheiro do jogo do bicho, agiotagem, extorsão e receptação qualificada. A esposa do chefe dessa facção criminosa foi presa durante a operação.


				
					PMs suspeitos de integrar milícia são suspensos de funções na BA
PMs suspeitos de integrar milícia são suspensos de funções na BA. Foto: Divulgação

No total, foram cumpridos 17 mandados de busca. A Justiça determinou o bloqueio de R$ 4 milhões das contas bancárias dos investigados, além da suspensão das funções públicas exercidas pelos PM's. A decisão foi expedida pelo Juízo da 1º Vara Criminal de Feira de Santana.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Leia mais:

Investigações apontam que policiais integram braço armado de grupo miliciano

Investigações apontam que a organização criminosa é chefiada pelo parlamentar Kleber Cristian Escolano de Almeida, deputado estadual conhecido como Binho Galinha, e principal alvo da operação "El Patron". A operação foi deflagrada no dia 7 de dezembro de 2023.


				
					PMs suspeitos de integrar milícia são suspensos de funções na BA
PMs suspeitos de integrar milícia são suspensos de funções na BA. Foto: Divulgação

As investigações apontaram que os policiais investigados nesta terça integram braço armado do grupo miliciano responsável pela segurança das atividades ilícitas da organização criminosa. Além disso, os PMs teriam ocultado as propriedades de bens e dissimularam os valores decorrentes de infrações penais.

Em nota, o deputado estadual Binho Galinha (Patriota) informou que "está à disposição da Justiça para esclarecer os fatos envolvendo seu nome e de familiares na operação denominada de “El Patron”, deflagrada pela Polícia Federal. Binho Galinha ressalta, ainda, que tem acompanhado os desdobramentos das investigações com tranquilidade e colaborado com o Poder Judiciário. Nesta terça-feira, durante mais uma fase da operação, o deputado Binho Galinha volta a afirmar que jamais praticou os crimes que estão sendo lhe atribuídos e que vai provar sua inocência na Justiça."

Receita Federal aponta inconsistências fiscais dos investigados

Investigações feitas pela Receita Federal revelaram inconsistências financeiras dos investigados, movimentação financeira incompatível, além de propriedade de bens móveis e imóveis não declarados e indícios de lavagem de dinheiro.


				
					PMs suspeitos de integrar milícia são suspensos de funções na BA
PMs suspeitos de integrar milícia são suspensos de funções na BA. Foto: Divulgação

As investigações do caso seguem acontecendo e irá apurar se há outras pessoas envolvidas. Se condenados pelos crimes cometidos, os investigados estarão sujeitos a penas máximas que, somadas, podem ultrapassar 50 anos de reclusão.

Participaram da operação cerca de 200 policiais federais e estaduais, além de 13 auditores-fiscais, analistas tributários da Receita Federal e promotores de Justiça do Gaeco baiano.

Venha para a comunidade IBahia
Venha para a comunidade IBahia

TAGS:

RELACIONADAS:

MAIS EM SEGURANÇA :

Ver mais em Segurança