Acompanhamento obrigatório de saúde para Auxílio Brasil acontece até 30 de dezembro


Foto: Jefferson Peixoto / Secom

O acompanhemento obrigatório de saúde dos cidadãos atendidos pelo Auxílio Brasil deve ser feito até 30 de dezembro deste ano para que sejam cumpridas as exigências do Governo Federal e evitar o bloqueio do benefício.

Crianças de zero a 7 anos, mulheres de 14 a 44 anos e as gestantes devem comparecer, das 8h às 17h, em um dos 166 postos de saúde da rede municipal. Os documentos necessários são o cartão do Auxílio Brasil (com Número de Identificação Social – NIS), a Caderneta da Criança e o Cartão da Gestante.

Em Salvador, a adesão ainda é baixa. Dos 281 mil beneficiários que precisam cumprir a exigência na capital baiana, apenas 78 mil pessoas já realizaram o acompanhamento obrigatório, uma cobertura inferior a 28% do público elegível.

“Para a manutenção do benefício é necessária a avaliação do estado nutricional das mulheres e crianças. Também é necessário que as crianças estejam vacinadas e que as gestantes estejam fazendo o acompanhamento pré-natal. Desde do início do ano toda a rede básica da cidade realiza o acompanhamento integral à saúde”, explicou Tainara Pereira, subcoordenadora de Estratégia de Saúde da Família de Salvador.

Exigências

Os responsáveis devem levar as crianças menores de 7 anos para tomar as vacinas recomendadas pelo Ministério da Saúde, além de passarem por avaliação de peso e altura, para acompanhamento do crescimento e do desenvolvimento dos pequenos. Essa atividade na unidade de saúde precisa ser realizada a cada seis meses, ou seja, no mínimo duas vezes ao ano. As gestantes devem fazer o pré-natal em uma Unidade de Saúde mais próxima de onde mora.

As condições para o recebimento do Auxílio Brasil são os compromissos assumidos pelas famílias e pelo poder público nas áreas de Educação, Saúde e Assistência Social. As famílias que descumprirem os compromissos assumidos com o programa Auxílio Brasil podem sofrer efeitos gradativos, que vão desde advertência, bloqueio, suspensão e até o cancelamento do benefício.

Leia mais sobre Salvador no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias.