Santo Antônio Além do Carmo

Fabrício Boliveira protesta contra retirada de pedras de igreja no Centro Histórico de Salvador

Estruturas originais da Igreja do Boqueirão, no Santo Antônio Além do Carmo, seriam substituídas

Redação iBahia
11/05/2022 às 17h59

3 min de leitura
Foto: Reprodução/Redes Sociais
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Moradores do bairro do Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador, interditaram, na terça-feira (10), uma obra que acontece na escadaria da Igreja de Nossa Senhora do Boqueirão, também conhecida como Igreja do Boqueirão. Segundo a comunidade, pedras originais da estrutura secular estavam sendo substituídas por outras de material inferior.

Um vídeo publicado nas redes sociais mostra os moradores protestando contra a retirada das pedras. Entre os manifestantes estava o ator Fabrício Boliveira, que questionava junto com a comunidade a restauração do local.

A retirada estava sendo feita pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), responsável por outras obras no Centro Histórico da capital baiana. O órgão informou, em nota, que os serviços para a recuperação da escadaria foram definidos a partir de uma visita técnica do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A Conder afirma que a substituição seria feita nas pedras danificadas, seguindo o projeto do Governo do Estado e “e respeito às normas estabelecidas pelos órgãos de proteção ao patrimônio cultural, histórico e artístico presentes na região antiga da primeira capital do Brasil”.

No entanto, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) diz que “serviços de retirada e demolição de alguns elementos da escada” foram iniciados sem acompanhamento e devida autorização prévia do órgão.

Foto: Reprodução/TV Bahia

Ainda segundo o Iphan, uma visita técnica chegou, de fato, a ser realizada a pedido da Conder, para o fornecimento de orientações para as obras no bairro de Santo Antônio Além do Carmo. As recomendações foram de “recuperação e restauração da cantaria que compunha a escadaria, e não a sua substituição”.

Diante da situação e das manifestações dos moradores, servidores do órgão realizaram uma inspeção no local. Foi determinada a paralização das atividades até que seja elaborada uma Nota Técnica com a indicação das intervenções necessárias para a recomposição das peças retiradas e a restauração da escadaria.

Leia mais sobre Salvador em iBahia.com e siga o Portal no Google Notícias.

Recomendamos