Economia

Feriados alavancam ocupações hoteleiras de Salvador que chegam a quase 56% no 1º semestre

Só em Junho, a taxa de ocupação dos hotéis de Salvador foi de quase 50%, segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-BA)

Redação iBahia
16/07/2022 às 11h23

3 min de leitura
Foto: Hotel Fasano/ Divulgação

No primeiro semestre deste ano, o setor de hotéis de Salvador chegou a ter uma ocupação que se equiparou ao patamar semelhante ao período pré-pandemia. De acordo com levantamento divulgado pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-BA), só em junho a taxa de ocupação na capital baiana foi de 47,14%.

O São João e o Dia dos Namorados foram datas que ajudaram a alavancar o desempenho, muito embora o feriado junino tenha tido maior impacto na hotelaria das cidades turísticas do interior do estado da Bahia.

Segundo a ABIH-BA diária média foi de R$ 403,73, ou R$ 284,73 se retirarmos dessa média os valores correspondentes aos hotéis de luxo.

A ocupação foi garantida sobretudo pelos turistas domésticos uma vez que não houve ainda, de forma expressiva, a retomada dos voos internacionais, essenciais para garantir o retorno dos turistas provenientes de fora do país.

Balanço 1° Semestre

Apesar da diminuição dos turistas estrangeiros, a taxa de ocupação média do primeiro semestre deste ano (55,93%) ficou próxima à apresentada nos anos de 2019 (61,55%) e 2018 (61,34%), períodos anteriores à pandemia.

Apesar das viagens com destino à Bahia terem caído cerca de 33,6% nos dois primeiros anos de pandemia, o estado teve a segunda maior receita do país com o chamado turismo doméstico, isto é, viagens feitas dentro do próprio país. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

De acordo com o levantamento, o Estado gerou mais de R$1 bilhão em 2021, abaixo apenas de São Paulo, que, durante o período, teve uma receita de aproximadamente R$1,8 bi. Ainda conforme os dados, de cada dez reais gastos por turistas brasileiros no país, R$1 ficou na Bahia, ou seja, 10%.

Expectativas 2° Semestre

De acordo com Luciano Lopes, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, Regional Bahia, para o mês de julho, período de férias escolares nos principais mercados emissores do país, são esperados resultados similares ao período pré-pandemia, sobretudo na segunda quinzena.

“O segundo semestre é visto com muito otimismo em função da  demanda reprimida de grande parte das famílias à procura de realizar viagens que não puderam fazer na pandemia, da retomada de congressos e feiras, e em virtude da volta mais consistente dos voos internacionais previstos para os últimos meses deste ano. Este otimismo não é maior, pois o elevado preço das passagens aéreas para Salvador está influenciando negativamente no desempenho dos hotéis”, afirma.

Os números do desempenho hoteleiro de Salvador aqui divulgados são frutos da Pesquisa Conjuntural de Desempenho (Taxinfo), realizada pela ABIH, Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – seções Bahia e Brasil. O levantamento é digital e os dados são fornecidos diariamente pelos hotéis ao Portal Cesta Competitiva. A média resultante constitui o indicador para avaliar a evolução da atividade de hospedagem na capital baiana.

Leia mais sobre Salvador no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias