Ufba participa de teste para comprimido contra Aids


Um comprimido por dia pode prevenir a Aids e o HIV. Com esse mote, o Brasil realiza uma pesquisa multicêntricos para definir os padrões e as formas que a profilaxia pré-exposição da Aids (Prep) será adotada pelo Sistema Único de Saúde (SUS). As pesquisas estão sendo realizadas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de Minas Gerais e Bahia (UFMG e Ufba), para avaliar como funcionaria, na prática, a administração das doses de tenofovir + entricitabina, conhecida como Truvada. De acordo com médica e pesquisadora do Instituto de Saúde Coletiva da Ufba, Inês Dourado, os resultados obtidos até agora em países do continente africano, Estados Unidos, Austrália, França e Inglaterra mostraram que o tratamento chega a alcançar 90% de proteção contra a infecção provocada pelo HIV.

UPA de Itapuã oferece profilaxia pós-exposição ao HIV (Foto: Evandro Veiga)

“A Organização Mundial de Saúde  solicitou que o mundo fizesse estudos de demonstração para avaliar o uso da medicação e, nesses países específicos, a prática é admitida como mais uma possibilidade terapêutica contra a Aids”, completa a pesquisadora. Prevenção combinada
Para os que acreditam que a implantação da Prep pode impactar de forma negativa nas campanhas que defendem o uso do preservativo, o diretor do departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita, ressalta  que a população reconhece a eficiência da camisinha, mas 45% da população brasileira não usa. “É fundamental que existam outros recursos que garantam o controle sobre o HIV”, completa. Segundo o representante do MS, os efeitos colaterais desses medicamentos são baixos: o tenofovir teria de 2% a 3% de complicações renais após cinco anos de uso e a entricitabina, poucas reações.Inês Dourado lembra ainda que apesar da eficiência do Truvada, ele não atua no tratamento ou prevenção de outras doenças sexualmente transmissíveis, a exemplo da sífilis, gonorreia e HPV. “O tratamento preventivo contra a Aids/HIV precisa contemplar a diversidade das pessoas, logo, não se trata de uma pílula mágica. O tratamento precisa ser combinado com outras formas de prevenção como preservativos, lubrificantes, testes, que formam a prevenção combinada”, diz Inês. Na pesquisa realizada no Brasil o tratamento é feito durante 30 dias. A medicação  não exige conservação especial e pode ser ingerida com ou sem alimentos. Embora os critérios de uso da Prep ainda estejam sendo fechados, Inês Dourado faz questão de destacar que, num primeiro momento, ela será voltada para mulheres transgêneros, homens que fazem sexo com homens e gays. “É importante que a sociedade e os grupos sociais participem dessa pesquisa, pois assim conseguimos quebrar o preconceito e disseminar a informação”, finaliza. Pós exposição
Desde julho, o MS realiza um programa que distribui pelo SUS medicamentos para a profilaxia pós-exposição (Pep), até 72 horas após a relação  sem preservativo. A prevenção contempla pessoas vítimas de acidente ocupacional, violência sexual ou em casos de relação sexual consentida com suspeita de contaminação pelo HIV. Em Salvador, as Unidades de Pronto Atendimento de Itapuã e Marback são referências.

Exame pode detectar vírus em 30 minutos
O procedimento é parecido com o teste de glicemia: de uma picada no dedo do paciente é obtida uma gota de sangue, que será disposta em uma pequena placa. Desta forma, é realizado o teste rápido anti-HIV, que está disponível em mais de 100 postos de saúde da capital baiana (lista disponível no site do CORREIO). Depois de 30 minutos, em média, o resultado do teste aparece. Uma linha vermelha indica que o resultado é negativo, e se duas linhas surgem no mostrador, o resultado é positivo para a presença do vírus. Se o teste rápido aponta a presença do vírus, obrigatoriamente é feito  um segundo teste para confirmar. Se este também der positivo, o paciente é encaminhado para uma das três unidades de serviço de assistência especializada: Liberdade, São Francisco (Nazaré) e Marymar Novaes (Dendezeiros). Para saber mais sobre HIV, AIDS, testes rápidos e prevenção use os contatos abaixo
Centro Estadual Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa (Cedap)
R. Comendador José Alves Ferreira, 240 – Garcia/ Telefone:(71) 3116-8888

12º CS Alfredo Bureau
Rua Jayme Saponik, S/N – Ladeira do Marback – Imbuí
 Tel.: 3797-1750

Unidade de Pronto Atendimento Dr. Hélio Machado
Rua da Cacimba, S/N – Itapuã,
Telefone:(71) 3611-7118

Perguntas/Preocupações sobre a PREP
Fiocruz-RJ Tel: 9090 (21) 2260-6700 (Ligue gratuitamente)
CRT DST/Aids-SP Tel: (11) 5087-9903
USP-SP Tel: (11) 2661-3344 – (11) 2661-7214 – (11) 94966-6134
SAT-RS Tel: (51) 3336-1883 e (51) 3901-1328
Acesse também prepbrasil.com.br

Correio24horas