Salvador

Vendedor morre após casa pegar fogo em Cajazeiras XI

Caso aconteceu por volta das 0h30, na Rua Nossa Senhora de Lourdes, no Loteamento Santo Antônio

Redação iBahia
08/05/2016 às 15h25

4 min de leitura
Um incêndio ocorrido na madrugada de hoje vitimou um vendedor em Cajazeiras XI. José Raimundo Pimentel, 32 anos, dormia na casa localizada na Rua Nossa Senhora de Lourdes, no Loteamento Santo Antônio, quando pouco após a meia-noite o incêndio começou. “A gente comprou a casa há pouco mais de um mês, mas como não tinha instalação elétrica, ainda não tínhamos nos mudado. Ele passou aqui [casa da sogra que fica na mesma rua] por volta das 22h dizendo que iria dormir lá para que o espaço não parecesse desocupado”, contou Lidimeire Simões, 31 anos, esposa da vítima. Segundo ela, o pedido da ligação de luz já havia sido feito à Coelba, mas como o serviço não tinha sido realizado, o marido levou uma vela para iluminar o espaço. 

Foto: Juliana Montanha/CORREIO

“Minha mãe se preocupou com o fato dele estar levando uma vela e pediu para que tomasse cuidado e ele disse para que ela ficasse tranquila, porque Nossa Senhora de Aparecida estava protegendo ele”, lamentou Lidimeire. Ela disse que por volta das 0:30, vizinhos vieram chamá-la na residência dos pais, dizendo que a casa recém-comprada estava pegando fogo. “Quando chegaram para me avisar, acharam que não havia ninguém lá dentro. Eu não sabia se Rai ainda estava na casa ou se tinha conseguido e estava vendo o fogo de fora. Só quando cheguei que os vizinhos falaram que ouviram gritos de socorro, mas o fogo estava muito alto”. Ao perceber o fogo, os vizinhos da casa incendiada começaram a pegar baldes e usar a mangueira do terreno da frente para tentar apagar as chamas. “Bateram aqui na porta para chamar o meu esposo e saímos para ajudar a apagar o fogo com outros moradores. As chamas estavam bem altas e a gente conseguia ouvir que uma pessoa gritava pedindo socorro”, revela Domingas Martins, 45 anos, que morava próximo à casa que pegou fogo. “A gente fez diversas ligações para a polícia e para a Samu, diziam que tinha uma viatura a caminho mas não aparecia ninguém. Conseguimos apagar o fogo e arrombar a porta, e encontraram ele [José Raimundo] caído no banheiro”. Ela disse ainda que o socorro só apareceu depois de quase duas horas da primeira ligação, e que os bombeiros foram os últimos a chegar. “Acordei assustado com minha mãe gritando e cheguei a achar que o incêndio era na minha casa. Ele gritava até o momento que conseguimos arrombar a casa, mas depois parou. Ele [a vítima] estava com o rosto roxo e meu pai chegou a tentar quebrar o telhado para que a fumaça saísse”, disse o estudante Jeosadaque Brito, 14 anos, que mora ao lado da casa incendiada. Os vizinhos e familiares da vítima acreditam que ele morreu asfixiado. Segundo a esposa, Raimundo tinha bebido antes de dormir e estava cansado, e por isso o marido pode ter demorado a acordar quando o incêndio começou. O casal não tinha filhos, mas Lidimeire estava tentando engravidar. O corpo da vítima será enterrado no distrito de Caldas do Jorro, no município de Tucano. De acordo com a Central de Polícias (Centel), o chamado aconteceu às 0h11 e tanto a polícia quando o Corpo de Bombeiros foram acionados. As informações preliminares apontam que as queimaduras foram o motivo do óbito, mas que o corpo foi levado para o Instituto Médico Legal para confirmar a hipótese. A ocorrência será investigada pelo Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa.

Correio24horas