Saúde

Diabetes: saiba mais sobre os riscos e a prevenção

A endocrinologista Reine Marie Chaves Fonseca esclarece que são vários os fatores que contribuem para o aumento do diabetes no mundo

Revista ABM

O diabetes já é considerado uma epidemia diante dos números que se elevam a cada ano. Na Bahia, segundo dados da Vigitel (Ministério da Saúde), 6,3% das pessoas são diabéticas, e em todo país são mais de 13 milhões.

E dados da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) estimam que 40 milhões de brasileiros sejam pré-diabéticos, ou seja, possuam o nível elevado de glicemia de jejum, variando entre 100 e 125 mg/dl. E 25% deste total pode desenvolver o diabetes tipo 2.

A endocrinologista Reine Marie Chaves Fonseca, fundadora e diretora do Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da Bahia (Cedeba), destaca que, assim como a depressão, o diabetes é considerado um dos grandes desafios da Saúde do século 21.

Ela esclarece que são vários os fatores que contribuem para o aumento do diabetes no mundo. “O estresse e a obesidade, que também está em números alarmantes, aliados a outros fatores como hipertensão, tabagismo, abuso de bebida alcoólica e alimentação inadequada, rica em açucares e gorduras, faz com que as pessoas tenham menos qualidade de vida. E aliado a isso tudo tem o sedentarismo, com a diminuição progressiva de atividade física diária, e o pouco gasto calórico. Tudo isso contribui para o surgimento do diabetes”.
Foto: revista ABM
Ela destaca ainda que, por outro lado, o aumento da expectativa de vida, que vem aumentando ao longo do tempo, é um aspecto fundamental nos cuidados com a saúde, uma vez que a tolerância à glicose fica comprometida com o envelhecimento. “A vulnerabilidade ao diagnostico se torna maior à medida que envelhecemos. Por isso é importante envelhecer com saúde”.

Gestação e menopausa – fatores de risco

Fatores biológicos que ocorrem no sexo feminino, como a gestação e a menopausa, contribuem para que o diabetes atinja mais mulheres do que homens. Na gestação, os níveis de glicose ficam aumentados, o que pode causar o diabetes gestacional.

O fato ocorre devido às várias alterações hormonais ao longo dos noves meses de gravidez, quando o corpo passa a produzir maior quantidade de insulina, se intensificando mais no último trimestre, quando a mulher precisa ingerir mais carboidrato para que a criança se desenvolva bem.

E esse fato pode contribuir também para o risco do diabetes se desenvolver após a gravidez. Segundo explica Dra. Reine, se não houver hábitos de vida saudáveis e a perda de peso (voltar ao peso antes da gestação), os riscos podem aumentar. “É preciso ter cuidado com a alimentação e outros hábitos saudáveis após a gravidez para que a recente mamãe não se torne uma futura portadora do diabetes”.

Com relação à menopausa, entre os 45 e os 55 anos a mulher fica mais vulnerável devido às alterações do metabolismo com a diminuição dos hormônios femininos provocando, entre outras coisas, aumento de peso. Esse sobrepeso leva à resistência à insulina, que, por sua vez, leva ao aparecimento do diabetes.

Portanto, é importante que nesse período a mulher procure um ginecologista ou endocrinologista, para analisar a necessidade de fazer Terapia de Reposição Hormonal (TRH), conversando com o médico sobre os riscos e os benefícios.

“Mas com ou sem TRH, nesse período é muito importante que a mulher cuide melhor da sua alimentação, com uma dieta saudável e adequada, e pratique atividade física regularmente. Isso é fundamental e vai contribuir muito para diminuir os riscos de desenvolver o diabetes”, explica Dra. Reine.
Foto: revista ABM
Manter-se vacinado é importante

Todos os anos milhares de adultos adoecem e são hospitalizados por doenças que poderiam ser prevenidas por vacina, e a as pessoas com diabetes estão em maior risco.

Conforme explica a endocrinologista, mesmo bem controlado, o diabetes pode tornar mais difícil para o sistema imunológico combater infecções, e assim, deixar maior o risco de complicações mais graves.

 “A imunização no diabetes, não só nos idosos, mas também nas crianças e adultos, é extremamente importante para a prevenção de doenças infecciosas e deve ser orientada e divulgada. É muito importante imunizar”.

As vacinas mais necessárias aos portadores do diabetes são:

• Vacina contra a gripe

• Vacina contra pneumococos

• Vacina contra hepatite B

• Vacina contra tétano, difteria e coqueluche

Causas, sintomas e tratamento

O diabetes é uma doença desenvolvida pela deficiência na produção da insulina, um hormônio produzido no pâncreas, que causa aumento da glicose (açúcar) na corrente sanguínea.

Altas taxas de glicose podem levar a complicações no coração, artérias, olhos, rins e nervos. Em casos mais graves, o diabetes pode levar à morte, por isso é importante ficar atento a alguns sintomas, realizar exames de rotina, saber quais são os fatores de risco e buscar o diagnóstico.

O principal tratamento para a diabetes é a mudança no estilo de vida, com práticas de atividade física, controle de peso e adoção de um padrão alimentar saudável, aliada ao tratamento medicamentoso, quando necessário.



O diabetes não tem sintomas evidentes, e as complicações também não são iguais para todos. Mas dentre os sintomas mais comuns destacados pela SBD estão:

• Sede excessiva

• Aumento do apetite;

• Perda de peso (mesmo com aumento do apetite);

• Vontade de urinar várias vezes ao dia;

• Cansaço;

• Vista embaçada;

• Infecções frequentes na pele