Saúde

Sofre com insônia? Veja dez alimentos que ajudam a dormir melhor

Leite, salmão e pistache estão na lista; confira

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Uma das piores coisas que existe é a insônia, concorda? Você sabendo que precisa acordar cedo no outro dia, mas o sono não aparece! Alguns alimentos ajudam neste transtorno que afeta muitas pessoas. Confira:

Amendoim: É um exemplo de alimento com triptofano, aminoácido que não é produzido naturalmente por nosso corpo e que se converte em serotonina.

Leite: Vale tomar um copo, momentos antes de dormir, pois também contém triptofano. O resultado? Músculos relaxados e mais facilidade na hora de pegar no sono. Melhor ainda adoçar com uma colher (café) de mel, o que vai aumentar a produção de insulina e, consequentemente, diminuir a quantidade de outros aminoácidos que competem com o triptofano.

Iogurte: O intestino tem um papel importante no estado de humor. Um estudo da Universidade da Califórnia feito com 36 mulheres saudáveis revelou que o consumo de probióticos no iogurte reduziu a atividade cerebral em áreas que lidavam com estresse. Ainda são necessários mais trabalhos sobre o tema, porém, considerando que o iogurte também está cheio de cálcio e proteína, só fará bem adicioná-lo a sua dieta.

Salmão: O estresse pode causar um aumento nos hormônios de ansiedade. E os ácidos graxos ômega-3 desse peixe possuem propriedades anti-inflamatórias que ajudam a controlar os efeitos negativos. Por conta do ômega-3, também vale investir em peixes de água profunda, como atum e sardinha.

Chocolate amargo: O cacau tem o poder de regular os níveis de estresse, por reduzir hormônios como o cortisol. Seus antioxidantes também relaxam as paredes dos vasos sanguíneos, baixando a pressão e melhorando a circulação. Procure variedades que contenham no mínimo 70% de cacau (menos do que isso possui muito açúcar) e, por conta das calorias, não exagere: um quadradinho por dia já está ótimo.

Castanha de caju: O zinco é um componente que participa na modulação de pelo menos 3 mil proteínas diferentes do seu corpo. E níveis baixos dele influenciam em seu humor. Você pode ajudar seu organismo com um punhado de castanha de caju, que também são ricas em ômega-3 e proteínas, formando um lanche bem interessante.

Pistache: Comê-lo pode reduzir a resposta do seu corpo ao estresse da vida cotidiana, de acordo com um estudo que acompanhou os voluntários por dez anos. Os pesquisadores da Pennsylvania State University descobriram que o pistache reduziu os efeitos do estresse sobre a pressão arterial. Além disso, quer algo mais calmante do que passar um tempo abrindo as cascas do pistache?

Chás: Opte por ervas como cidreira, melissa e camomila, por conta de seu efeito carminativo. Também são bons por conta do efeito vasodilatador da bebida quente, que faz a substância ser absorvida de forma mais rápida. Além disso, é uma forma de beber líquidos (e ninguém fica de bom humor desidratado), trazendo alívio para as funções intestinais e digestivas.

Maracujá: Por conta das frações alcaloídicas e flavonoídicas, o maracujá agiria como depressor do sistema nervoso central, trazendo uma ação sedativa, tranquilizante e antiespasmódica da musculatura lisa. Mas, atenção: o efeito depende muito da sensibilidade de cada um. A indústria farmacêutica prefere apostar na passiflora, uma das variedades da família do maracujá, que possui maior concentração.

Kiwi: Estudos apontam que possui antioxidantes benéficos para o tratamento dos distúrbios do sono. Um estudo avaliou os efeitos do kiwi nos padrões de sono dos voluntários, incluindo início, duração e qualidade. Os 24 participantes --que consumiram dois kiwis uma hora antes de deitar durante quatro semanas-- tiveram o tempo e a eficiência do sono aumentados significativamente. Fica a dica!