Saúde

Vassoura pode espalhar sujeira e provocar contaminações; entenda

Higienização do objeto não pode ser esquecida

Redação iBahia (redacao@portalbahia.com.br)

Em tempos de pandemia de coronavírus, algumas atenções com a limpeza da casa podem ter aumentado. Vale passar a vassoura pela casa, mas com cuidados: o objeto pode ser uma fonte fácil de transmissão de vírus dentro do lar.

Por isso, a dica de Renato Ticoulat, presidente da Limpeza com Zelo, especializada em limpeza residencial, é investir em um aspirador de pó e, se caso não for possível, não utilizar a mesma vassoura em ambientes distintos. “É o que chamamos de contaminação cruzada, quando transferimos a sujeira de um local a outro”, comenta.

Por isso, a vassoura utilizada para varrer o quintal não deve entrar em casa, a fim de evitar que esses contaminantes, que podem até transmitir doenças, entrem na residência também, junto do pó, fios de cabelo, pelos de gatos e cachorros e o restante da sujeira. Também é importante que as cerdas da vassoura sejam higienizadas ao fim de cada uso. É recomendado que o excesso da sujeira seja retirado, batendo a vassoura contra a parede.

“Se as cerdas forem de nylon, podem ficar de molho por 15 minutos em um balde com detergente neutro, ou 50ml de vinagre diluídos em água. Já as de fios naturais, também podem ficar de molho em água e sabão neutro, mas é fundamental que a vassoura só seja utilizada novamente quando estiver bem seca”, conclui Renato.