Saúde

Caso suspeito de varíola do macaco é investigado em Ilhéus

Paciente é um jovem de 17 anos que deu entrada em uma unidade de saúde do município com sintomas da doença

Redação iBahia
21/07/2022 às 17h10

4 min de leitura
Foto: Dado Ruvic

Um caso suspeito de varíola do macaco é investigado pela Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) na cidade de Ilhéus, no sul do estado. A informação foi divulgada pela pasta nesta quinta-feira (21). O paciente é um adolescente de 17 anos. Ele está internado com sintomas da doença.

Em contato com o g1, a diretora do Núcleo Regional de Saúde, Domilene Costa, informou que o adolescente, que não teve o nome divulgado, deu entrada em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na quarta-feira (20), e que foi transferido para o Hospital Costa do Cacau.

O paciente está em isolamento, sendo acompanhando por infectologistas.

O Centro de Informações de Emergência em Vigilância e Saúde junto com a Vigilância Epidemiológica de Ilhéus investigam de que forma o jovem teve contato com o vírus.

Segundo a Sesab, outros 12 casos suspeitos estão sendo investigados no estado. São 5 em Salvador, 2 em Santo Antônio de Jesus, 2 em Vitória da Conquista, 1 em Camaçari, 1 em Camamu e 1 em Porto Seguro. Em todos os casos, as medidas sanitárias de monitoramento dos contactantes próximos, bem como isolamento foram adotadas.

Até então, a Bahia tem 3 casos confirmados da doença. Todos são de homens moradores de Salvador. O mais recente deles foi confirmado na quarta pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). O registro foi oficializado para a Sesab nesta quinta.

De acordo com a SMS, o paciente confirmado na quarta-feira é um homem de 31 anos. Os sintomas começaram a se manifestar nele no dia 13 deste mês. A confirmação da doença saiu nesta quarta-feira, após exames.

Segundo a SMS, ele apresentou febre de início súbito, dor lombar, erupção cutânea e dor de cabeça, mas não precisou de hospitalização e segue em isolamento com boa evolução em domicílio.

O primeiro caso confirmado de varíola do macaco no estado foi o de um homem de 32 anos, que começou a ter sintomas da doença no dia 22 de junho deste ano. No entanto, a confirmação só saiu no dia 13 de julho.

O segundo caso foi de um outro homem de 34 anos, que começou a apresentar sinais de varíola do macaco no dia 2 de julho. A confirmação saiu no dia 14. Não há informações atualizadas sobre o estado de saúde dos dois.

Como acontece a transmissão?

A varíola do macaco pode ser transmitida pelo contato com fluidos corporais, secreções respiratórias, lesões na pele ou mucosas de pessoas infectadas. Há também o risco de contaminação pela utilização de materiais contaminados, como toalhas, roupas de cama e utensílios domésticos contaminados e/ou contato com animais infectados pelo vírus.

Sintomas

Os principais sintomas observados nos indivíduos infectados são febre, dor de cabeça, dores nas costas ou musculares, inflamações nos nódulos linfáticos, lesões na pele, que começam no rosto e se espalham pelo corpo, atingindo principalmente as mãos e os pés.

O vírus tem um período de incubação que pode variar de cinco a treze dias. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), os sintomas duram de 16 a 21 dias.

Prevenção

Apesar de não haver tratamento específico ou vacina para a varíola do macaco, a OMS afirma que a vacina para a varíola humana mostrou ser 85% eficaz para prevenir casos da doença. Recentemente, Estados Unidos, Alemanha e França anunciaram que irão implementar planos de vacinação como precaução.

Ao apresentar os sintomas da doença, a orientação da Secretaria Municipal da Saúde é que o paciente busque uma unidade de urgência e emergência. Atualmente, a rede municipal dispõe de 16 postos de urgência que funcionam ininterruptamente, nos sete dias da semana, inclusive feriados, em regime 24 horas.

Leia mais sobre Bahia no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias