Conheça e evite os erros de português mais comuns no Enem


Com o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) se aproximando, dominar a língua portuguesa é obrigação dos estudantes que irão fazer a prova, afinal, a redação exige isso e é grande parte da pontuação. Com a tensão do exame, aliado ao nervosismo, a pressão e até a falta de estudo, alguns erros são facilmente cometidos e, pensando nisso, o iBahia separou alguns listados pelo site Universia para você ficar ligado e não pecar na ortografia.

Mais e Mas
Este é bem comum nas elaborações de texto. No entanto, a diferença é ainda mais simples: o MAS deve ser usado quando existir uma relação de oposição. Já o MAIS é usado como advérbio de intensidade. Exemplo: A prova o deixou MAIS estressado. Eu gostaria de ir à festa, MAS tenho que estudar.

Verbo haver
Impessoal, o verbo haver deve estar sempre no singular quando usado no sentido de existir ou ter.

Onde x Aonde
Onde é empregado quando se trata de um lugar fixo, sem movimento. O correto é perguntar “onde você mora?”. No entanto, se o verbo passar a ideia de movimento, transição, deve-se usar aonde. Por exemplo: “Aonde você vai amanhã?”

Uso da crase
Esse assunto causa confusão na cabeça de muita gente, principalmente durante a prova. A crase é uma fusão da preposição “a” com o artigo “a”. O estudante deve ficar atento e perceber em qual situação ela se encaixa e é importante dar uma atenção especial aos casos em que o uso é optativo.

Uso da vírgula
A vírgula é obrigatória em poucas situações. Procure se lembrar das situações como, por exemplo, quando existe um vocativo, aposto explicativo, expressões do tipo “ou seja” e “ou melhor”, ou quando o predicativo está deslocado na frase.

Palavras homônimas
Trata-se das palavras que são iguais na pronúncia ou na escrita. É recomendado que o aluno cultive o hábito de leitura para evitar essas confusões.

Uso dos pronomes
É importante se atentar para as questões que enganam os candidatos, as famosas pegadinhas. Ele deve prestar atenção na colocação dos pronomes oblíquos átonos (me, te, se, lhe, o, a), pois estes exigem maior dedicação. Outra dica é não confundir o uso dos pronomes mim e eu, uma vez que o “mim” não pode ser usado como sujeito da frase, quando aparece um verbo. Nestes casos, é necessário um sujeito para o verbo, e só os pronomes pessoais do caso reto são adequados, ou seja, o “eu”. Mim não conjuga verbo.

Interpretação de textos e enunciados
Muitos candidatos não leem os enunciados e pulam os textos longos durante a prova. Grifar o comando da questão: verbos como indique, comente, justifique, cite é uma boa dica para não se cansar e perder a concentração durante a leitura. Também é muito importante que o estudante releia com atenção o que a questão está pedindo.