Projeto Quartas Abissais promove debate sobre saúde mental de artistas pretes no Gamboa Nova


Psicóloga Daiana Nascimento (esq.) e a cantora Laiô (dir.) participam de mesa mediada pelo jornalista e pesquisador musical Marcelo Argôlo – (Fotos: Arquivo Pessoal | Lorena Vinturini | Divulgação)

Em setembro, falei aqui na coluna Pop Bahia do lançamento de Laiô, cantora de Ilhéus que enfrenta fantasmas pessoais no seu primeiro álbum solo. Agora, a artista estará em Salvador, nesta quarta (30), às 19h, para participar do projeto “Quartas Abissais” no Teatro Gamboa Nova. Ela estará junto com a psicóloga Daiana Nascimento para falar sobre saúde mental de artistas pretos. Eu estarei na mediação dessa conversa, que também conta com transmissão online pelo YouTube.

A proposta é debater como enfrentar de uma forma saudável as pressões que o mercado da música impõe a artistas independentes. Sabemos que a população negra está ainda mais suscetível às questões que envolvem o adoecimento psíquico, por isso se faz necessário essa conversa para que o trabalho na música não se torne mais um fator de vulnerabilidade para esse grupo.

Para isso, juntamos uma artista que fez das suas aflições material para a criação e uma psicóloga que trabalha a partir de uma perspectiva antirracista e pesquisa raça, gênero e juventude no Mestrado em Psicologia da Universidade Federal da Bahia. O relato de experiência de Laiô apoiado no conhecimento técnico e científico de Daiana promete uma conversa bastante produtiva.

“Penso que é de extrema importância discutir pautas que se relacionam com a saúde mental de um modo geral. A estrutura social já nos coloca nesses lugares sensíveis e vulneráveis diariamente. Precisamos falar sobre o que a gente sente, é preciso naturalizar que ninguém é feliz o tempo todo. Atravessar os processos com consciência da dor faz parte do movimento de curar. Falar nos ajuda a acolher, a compreender, a se abrir para receber acolhimento e isso é transformador”, afirma a cantora.

O evento faz parte da programação do GamboAbissal promovida pelo selo criativo Abissal e que ocupou o Teatro Gamboa Nova durante todo o mês de novembro. O foco  do projeto tem sido o fomento da nova cena de artistas independentes e agentes do mercado cultural. A mesa desta quarta encerra a ocupação, que também contou com um bate-papo sobre carreira na música com ENIO, uma conversa sobre TransFormação de Público, com o artista Di Cerqueira, a produtora executiva Marcela Silva, Gabriel Veiga Valente, do projeto ‘Hoje Vou Voltar Cedo, e mediação de Rafaele Libório, da agenda Roda Cultural, ambas disponíveis do YouTube.

“O selo Abissal nasce com a busca no mergulho das artes e nas profundezas humanas como ingredientes para uma evolução e cura através da música e arte. Eventos como a programação GamboAbissal acontecendo em um teatro com tanta força e simbologia como o Teatro Gamboa Nova, e falando sobre saúde mental e a saúde artística dos nossos povos, somente nos dá sinais de que estamos mergulhando na direção correta: para dentro”, afirma Luan Boré.

Leia mais sobre Música no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias.