Bahia

Polícia Militar ameaça greve por ‘baixo’ reajuste

Em conversa com o jornal Correio*, o secretário de Comunicação do Governo, Robinson Almeida, afirmou que o reajuste será apresentado até o fim desta semana

Da Redação Correio 24h

A Polícia Militar da Bahia não descarta uma greve para este ano por conta do anúncio do governador Jaques Wagner de percentual baixo para reajuste dos servidores públicos estaduais e a possibilidade deste não ser retroativo a janeiro de 2013. Este foi apenas um dos assuntos discutidos ontem durante a assembleia organizada pela Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia – Força Invicta (AOPMBA), no Hotel Sol Bahia, em Patamares.Estiveram na pauta ainda outras reivindicações da classe: promoções, isonomia salarial, além de pensar um novo modelo para a PM. À boca miúda, já se fala em um reajuste de 5,84%, que cobriria apenas a inflação oficial.


Além do índice considerado baixo, o tenente-coronel Edmilson Tavares Santos, presidente da AOPMBA, diz que o “burburinho” que começou sobre a possibilidade do reajuste não ser retroativo, considerando que a data-base é janeiro, já seria  motivo para greve dos servidores estaduais. “O reajuste é constitucional e isso causa um ruído entre as associações e o governo”, pondera o tenente-coronel.


Ele também não descarta a possibilidade do governo parcelar o aumento, caso não tenha recursos para bancar todo o saldo retroativo. Tavares ressalta que nada está sendo discutido com as classes: “Nós já dissemos várias vezes que não somos favoráveis à greve. Mas parece que o governo só entende essa linguagem.”


Ele lembra que a PM é proibida de fazer greve por lei, mas questiona: “Então, qual é o caminho? A Justiça não julga em tempo hábil e o Estado não demonstra vontade de resolver”. Edmilson garante que a assembleia serviu para começar uma mobilização mas ainda não prevê data para uma possível greve.


As discussões serão levadas para o comando geral da Polícia Militar da Bahia e para o secretário de Segurança Pública Maurício Tavares. Ontem, em conversa com o CORREIO, o secretário de Comunicação do Governo, Robinson Almeida, afirmou que o reajuste será apresentado até o fim desta semana. “Vamos decidir tudo junto. Ainda não há uma informação oficial sobre o retroativo”, afirmou.