Segundo debate ao Governo da Bahia tem três candidatos presentes e um não comparece; veja como foi


Foto: Reprodução/YouTube

O segundo debate da disputa de 2022 ao Governo da Bahia reuniu três candidatos na noite desta terça-feira (6), em Salvador. O encontro foi realizado pela TVE, que havia convidado um quarto participante, mas ele não compareceu.

Estavam presentes Jerônimo Rodrigues (PT), João Roma (PL) e Kleber Rosa (Psol). Já ACM Neto (União Brasil) informou que não participaria ao ser convidado pela emissora de televisão.

A mediação do debate foi feita pelo jornalista da TVE Bahia Jhonatã Gabriel. Tudo foi transmitido pela televisão, redes sociais e Educadora FM.

O debate foi dividido em cinco blocos, sendo que em quatro deles os candidatos fizeram perguntas entre sim, da seguinte forma:

Em cada um dos quatro blocos, os candidatos fizeram perguntas, de tema livre, mas dentro do prazo de trinta segundos, e os outros dois tiveram até dois minutos para responder. A ordem de resposta foi definida por quem fez a pergunta.

Ao final das respostas, o candidato que perguntou encerrou com um comentário de um minuto e meio. A ordem de quem faria as perguntas foi definida por sorteio no início de cada bloco.

No quinto e último bloco, cada candidato fez suas considerações finais, em até três minutos, com a ordem de fala definida também por sorteio ao vivo.

Primeiro bloco

De acordo com sorteio, o primeiro a perguntar foi o candidato Jerônimo Rodrigues (PT), seguido por João Roma (PL) e Kleber Rosa (Psol).

Jerônimo iniciou a fala criticando a ausência do candidato ACM Neto (União Brasil) e, em seguuida, questionou: “Quais os planos para o ensino médio na capital e no interior do estado?”.

Kleber Rosa respondeu primeiro, por escolha de Jerônimo. Em sua resposta, o candidato citou propostas e cobrou o precatório dos professores ao atual governador, Rui Costa (PT), que apoia Jerônimo.

Depois, foi a vez de João Roma responder. Em sua fala, o candidato também comentou o não comparecimento de ACM Nero e fez críticas relacionadas a educação a Jerônimo, que era secretário estadual de Educação.

No seu comentário sobre as respostas, Jerônimo voltou a criticar ACM Nero, e, em seguida, rebateu as críticas dos dois candidatos

Segundo a perguntar na noite, João Roma teceu elogios ao Auxílio Brasil, criado durante o governo Bolsonaro, que o apoia, e quis saber: “Vocês são favoráveis ao Auxílio Brasil?”.

Jerônimo fez críticas ao projeto e ao atual presidente Jair Bolsonaro (PL) e citou outras ações do PT como contrapartida, porém disse ser favorável ao benefício.

Kleber fez críticas ao presidente Jair Bolsonaro e ao governo dele, citando problemas que, segundo ele, foram enfrentados pela população ao longo do mandato.

Em seguida, João Roma rebateu as críticas, atacando as ações citadas por Jerônimo e defendeu o governo de Bolsonaro.

Na sua vez, Kleber Rosa criticou a privatização de empresas públicas e perguntou: “Os candidatos vão dar continuidade ao processo de privatização da Embasa?”.

Em resposta, João Roma defendeu a privatização e citou benefícios que a ação tem em sua opinião. Já Jerônimo disse se tratar de um assunto delicado, citou propostas do seu programa de governo para a empresa e não detalhou se é a favor ou não da privatização.

No seu tempo de comentar as respostas, Kleber Rosa voltou a criticar a privatização e disse que, entre as primeiras medidas que tomará caso seja eleito, está a revogação da lei que estabelece o processo de privatização da Embasa.

Segundo bloco

No segundo bloco, por ordem de sorteio, o primeiro a perguntar foi João Roma (PL), seguido de Jerônimo Rodrigues (PT) e depois de Kleber Rosa (Psol)

João Roma falou sobre projetos de governo para o semiárido baiano e, em seguida, pediu: “Queria conhecer o seus projetos para o nosso semiárido”.

Kleber Rosa fez críticas a projetos dos outros candidatos, que, segundo ele, são voltados ao agronegócio e não focam na população, e disse que pretende focar no povo na atividade econômica no semiárido. Jerônimo defendeu melhorias no setor na região e defendeu o agronegócio.

Ao comentar as respostas, João Roma rebateu as críticas de Kleber contra o agronegócio e defendeu o setor.

Na sua vez de perguntar, Jerônimo citou um posicionamento do candidato ACM Neto, que afirma que, se eleito, vai atuar com a presidência independente de quem vencer a eleição, e questionou: “Tanto faz para vocês também quem será o presidente da república?”

João Roma criticou o ex-presidente Lula, reafirmou o seu apoio e preferência a Bolsonaro e defendeu supostos feitos durante o mandado do presidente, citando obras na Bahia, como a transposição do Rio São Francisco.

Ao responder, Kleber Rosa fez críticas ao presidente Bolsonaro, citou ele como genocida, misógino, disse que ele estará no lixo da história e voltou a defendeu o ex-presidente Lula como seu candidato nessas eleições.

Jerônimo também fez críticas ao presidente Bolsonaro, aos projetos apontados por João Rosa anteriormente, defendeu Lula e seus feitos em oito anos de governo, e reafirmou sua parceria com ele.

Em seu momento de perguntar, Kleber Rosa citou as faltas de ACM Neto (União Brasil) aos dois debates ocorridos até então, citou supostas negativas de entrevistas e questionou aos candidatos: “Quero saber a opinião de vocês sobre esse comportamento medonho do candidato”.

Jerônimo fez críticas ao candidato ACM Neto e reforçou o que disse Kleber sobre as faltas dele aos debates e entrevistas. No seu momento de resposta, João Roma fez críticas ao atual governador Rui Costa e, em seguida, respondendo a Kleber, também reforçou as faltas de ACM Neto.

Ao final, Kleber Rosa criticou a atitude de João Roma de usar tempo de resposta para falar de Rui e apenas o final para citar ACM Neto. Disse que haveria uma parceria entre os dois. Em seguida, continuou as críticas ao candidato que não foi ao debate.

Terceiro bloco

No terceiro bloco, Kleber Rosa (Psol) perguntou primeiro, seguido de Jerônimo Rodrigues (PT) e João Roma (PL).

Em sua pergunta, Kleber Rosa citou a população negra, indígena e cigana no estado, e quis saber dos outros dois candidatos: “Qual o projeto de vocês para o combate ao racismo e a violência racial?”

Em sua repostas, João Roma fez críticas à segurança pública, educação e saúde no estado durante o governo do PT.

Já Jerônimo Rodrigues garantiu o fortalecimento de orçamento para a Secretaria de Combate ao Racismo que já existe no estado. Falou sobre geração de renda, educação, citou as cotas e falou sobre melhoria na oferta de saúde para esse público.

Em seu tempo de debate às respostas dos outros candidatos, Kleber Rosa fez críticas a ACM Neto com relação a como o candidato se autodeclarou pardo nas eleições.

A terceira pergunta de Jerônimo Rodrigues foi: “O que vocês apresentam como saída para fortalecimento da agricultura familiar na Bahia?”.

João Roma citou programas criados pelo governo Bolsonaro e fez críticas a projetos do atual governador do estado com relação ao tema. Disse que quer levar ferramentas para que todos melhorem de vida.

Kleber Rosa citou o presidente Jair Bolsonaro como fascista, depois disse que o agro não é pop, que é tóxico e que gera grilagem de terra, entre outras críticas.

Em seu direito de comentar as respostas, Jerônimo rebateu as críticas feitas por João Roma e falou sobre propostas de governo.

Em sua pergunta, João Roma citou a obra da ponte Salvador-Itaparica, fez críticas à demora para o projeto sair do papel e questionou: “Qual são as propostas para infraestrutura dos seus governos?”

Jerônimo rebateu a crítica sobre a demora para construção da ponte, alegando impasses com o governo federal como causa, citou outras obras de infraestrutura criadas pelo PT nos oito anos de governo no estado, e disse que em seu mandato a construção sairá logo.

Kleber Rosa fez críticas a grandes projetos de infraestrutura, como a ponte, e disse que é importante pensar na infraestrutura para garantir a inclusão. Alegou que é importante pensar a quem serve e a quem não serve projetos como esse, além de estudar impactos ambientais e sociais.

Em seu momento de comentar, João Roma fez críticas a Kleber e Jerônimo, e falou sobre um projeto previsto em seu governo caso seja eleito, chamado Expresso Recôncavo. Segundo ele, além da ponte, o expresso deve ser executado no seu mandato.

Quarto bloco

A ordem de perguntas do quarto bloco começou com Kleber Rosa (Psol), seguido de Jerônimo Rodrigues (PT) e João Roma (PL).

Kleber Rosa teceu críticas à atual situação da segurança pública no estado e perguntou: “Qual a proposta para melhorar a situação da violência na Bahia?”

Jerônimo citou melhorias na segurança pública, que, segundo ele, foram executadas pelo seu partido nos últimos anos, e trouxe propostas, como viaturas blindadas e valorização dos servidores do setor.

João Roma fez críticas a ACM Neto e a Lula. Também falou de situações apontadas por ele como problemas na Bahia e disse que irá fortalecer a segurança pública no estado para que o cidadão ande de cabeça erguida e o “bandido” vá embora do estado.

Em seu comentário sobre as respostas, Kleber Rosa fez críticas a João Roma e disse que o ideal é ter “menos militarização e mais inteligência e investigação”.

Em sua quarta pergunta, Jerônimo quis saber dos outros dois candidatos: “Quais são as propostas para o fortalecimento do desenvolvimento do interior do estado?”.

João Roma usou parte do seu tempo de resposta para rebater Kleber Rosa. Depois, citou requalificação de estradas e outras ações para desenvolvimento do interior do estado

Kleber Rosa também voltou a rebater João Roma durante o tempo de resposta. João Roma chegou a interromper a fala e foram dados 10 segundos a mais a Kleber. Em seguida, o candidato citou a agricultura familiar, o turismo, e outras propostas que incluam a população carente do interior como medidas de desenvolvimento do interior.

Em sua hora de comentar as respostas, Jerônimo rebateu afirmações feitas por João Roma e falou sobre ações desenvolvidas por seu partido no estado.

Em sua terceira pergunta, João Roma defendeu reduções de impotos que segundo ele foram feitas pelo presidente Bolsonaro e questionou: “O que os senhores pensam sobre a diminuição dos impostos? Quais as propostas de vocês?”

Jerônimo rebateu alegações de Jerônimo, falou sobre elevações nos preços de produtos como o gás de cozinha e combustíveis durante o governo Bolsonaro e criticou os reajustes.

Durante sua reposta, Kleber Rosa também criticou os aumentos nos preços dos impostos ocorridos durante o governo Bolsonaro.

João Roma começou o seu comentário sobre as respostas dos outros dois candidatos novamente citando a falta de ACM Neto no debate e rebateu as críticas feitas por Jerônimo e Kleber.

Considerações finais

João Roma

“Queridas amigas e amigos, me dirijo a você, que está com sentimento de mudança. Esse desejo de uma Bahia liberta. Uma Bahia que largue as amarras de uma política atrasada. A Bahia dos século 21 não combina com práticas ultrapassadas, como a perseguição, o empreguismo, o ‘toma lá, dá cá’. Nós queremos uma Bahia grandiosa. Uma Bahia onde cada um possa ter a oportunidade de melhorar de vida. O que a Bahia precisa é de um líder e não de covarde. Realmente muito frustrante ver um candidato que se acovarda; que não trata o cidadão com respeito; não traz transparência e nem a verdade para a população; tenta confundir o eleitor; não sabe se é carne ou se é peixe; refém do politicamente correto; que não tem uma opinião. Primeiro ele quer ouvir o que as pessoas querem ouvir para depois abrir a boca para falar. Tome vergonha. Respeite o cidadão baiano. Nós queremos uma Bahia altiva. A Bahia não precisa de um covarde. A Bahia precisa de um líder. Nós queremos, nesse caminho, baixar os impostos, porque a Bahia está ficando para trás. É fundamental baixar os impostos, pois hoje a Bahia tem perdido espaço para vários outros estados. A Bahia é um lugares que mais cobra impostos do Brasil e isso está fazendo perder investimento até para o Ceará, que também é governado pelo PT, mas está levando investimentos. E o sinônimo de investimento é oportunidade de emprego e renda para o nosso povo. Nós queremos transformar a realidade do estado da Bahia. Uma Bahia de mãos dadas com o Brasil, junto com o nosso presidente Bolsonaro. E eu aproveito para pedir a cada um de vocês o voto no nosso presidente Bolsonaro, 22. E, na Bahia, quem vota Bolsonaro 22, vota João Roma 22. Peço também o voto para nossa senadora, doutora Raissa Soares (PL), número 222. Uma mulher combativa, corajosa, e que está deixando muito marmanjo tremendo de medo, porque já viram que vão perder a cadeira do Senado para ela. Ela que vai fazer a diferença e representar bem a nossa Bahia. Nós queremos uma Bahia com o programa Auxílio Bahia, que vai ser um complemento de renda para o cidadão necessitado poder melhorar de vida. Assim como nós criamos o Auxílio Brasil, que hoje garante o mínimo de R$ 600 para mais de 2,5 milhões de famílias baianas, vamos criar também o Auxílio Bahia, para dar um complemento para que o senhor e a senhora, cidadão necessitado, saiba que passar necessidade não é vergonha para ninguém. O que nós queremos é ajudar cada cidadão baiano a poder melhorar de vida. Queremos uma Bahia grandiosa, com oportunidades, com alegria, para que cada um possa ter orgulho do estado da Bahia. Não essa decepção que cada vez tá vendo notícias tristes do estado da Bahia. Queremos ter orgulho da nossa Bahia, e que cada filho de Deus possa melhorar de vida. Muito obrigado. Que Deus ilumine a todos”.

Jerônimo Rodrigues

Jhonatã, parabéns pela condução do debate. Saldar aqui os candidatos que tiveram coragem de participar com a gente e debater com você. Saldar e parabenizar a TVE, a Rádio Educadora, pela iniciativa desse debate, para esclarecer cada vez mais o que cada candidato tem a oferecer para esse debate. Isso é fortalecer a nossa democracia. E quero me dirigir a você, que segurou até agora a onda, pelas redes sociais, pela rádio, pela TV, escutando nosso debate, nossas propostas. Eu espero que tenha servido para você esclarecer e você criar o ritmo para poder continuar no ar ou vim para essa campanha vitoriosa de quem gosta de cuidar de gente. E quero agradecer ainda, em cada canto da Bahia, o sinal onde chega da Rádio Educadora, da TV Educativa, das redes sociais. Abraçar cada canto desse estado. Quero agradecer, inclusive, a acolhida, o acolhimento, que em cada carreata, em cada caminhada, em cada passeata, em cada comício, nós temos recebido com o coração tão grande. Eu retribuirei essa gratidão. Foi assim em diversos municípios, foi assim em Gandu no domingo, foi assim em Coronel João Sá, foi assim em Ibicuí, está sendo em toda a Bahia esse acolhimento. Essa é a verdadeira pesquisa que nós não abrimos mão. Quero agradecer ainda a você prefeito, prefeita, que está nesse time. Nós temos um time forte, que vai continuar cuidando de você. Aos movimentos sociais, aos partidos coligados, e quero aqui saldar e agradecer essa companhia do governador Rui Costa, do Jaques Wagner, do nosso querido Geraldo Júnior, meu vice-governador, e ao senador Otto Alencar, que tem nos dado uma forte companhia, ao senador Angelo Coronel. Mas eu quero me dirigir a você também para pedir o seu voto. No dia 2 de outubro, aperte lá o 13. Duas vezes 13. Treze de Lula, para votar esperança, para a gente combater a fome, erradicar o desemprego. E o 13 de Jerônimo, para que a gente possa fortalecer a corrida dobrada pela Bahia. É o time que faz, é o time que fez, é o time que fará. Não é o time que tanto faz. Portanto, eu quero encerrar dizendo aqui: Eu estou desafiando você ex-prefeito [ACM Neto]. Não mande mensageiro não. Venha debater comigo. Marque o dia e a hora para a gente debater a educação. E, se você não achar suficiente, procure um diretor de escola, procure um professor, procure uma mãe dessas escolas públicas que frequentam com muita delicadeza e muito firmeza, para que o senhor possa se informar mais. Eu espero que depois dessa fuga sua, essa sua corrida, os seus aliados, que estão batendo em mim de forma covarde, possam entender do que eu estou tratando”.

Kleber Rosa

“Eu quero começar dando os parabéns a TVE, a TV pública, parabenizando todas as pessoas que estão aqui até agora, dedicando o seu tempo, para fazer esse debate, para garantir que tudo ocorra bem, e dizer que nós precisamos defender o patrimônio público. Nosso povo só tem acesso ao que é público. Escola pública, saúde pública. Essa lógica de privatização exacerbada de certos setores da política brasileira, visa, na verdade, penalizar o nosso povo com menos serviços. Por isso, eu sou um servidor público, que defendo o serviço público, para a população ter acesso a serviços dignos. Quero dizer que estou fazendo uma caminhada linda. Tenho andado pelas ruas, junto com a nossa militância. Tem sido extremamente gratificante ser o porta-voz de um programa de governo que fale do povo, que fale das nossas dores de verdade, com propriedade, que sabe o que está falando, que sabe o quanto dói a fome, que sabe o quanto é humilhante pegar um transporte e não poder pagar e ter que ficar soltando por trás, que sabe o que é a luta diária do trabalhador de nem sempre voltar para casa com o dinheiro. Então, para mim, defender um projeto de inclusão é defender o que eu vivi a vida toda, e conheço da história da nossa população. Quero dizer para vocês que a Bahia tem alternativa pela esquerda, tem alternativa popular de verdade, alternativa de inclusão social do nosso povo. Devo dizer para vocês também que, no dia 2 [de outubro], é possível acreditar em um outro projeto para o nosso estado. Quero aproveitar para convidar vocês no dia 9 de setembro, sexta-feira, às 18h, no Rio Vermelho, nosso comício: Kleber Rosa governador e Lula presidente. Não podemos esquecer que essa é a eleição das nossas vidas. Precisamos mudar a página, derrotar Bolsonaro e fazer com que o Brasil volte a ter um programa de inclusão social de verdade, com Lula presidente. Por fim, quero dizer que eu tenho a honra de ter ao meu lado, na nossa chapa ao Senado, uma chapa coletiva. Porque nós somos assim. Nós fazemos luta coletiva. Tâmara, Professor Max e Zen Costa compõem a nossa chapa ao Senado. E você vota 500 para confirmar a nossa chapa ao Senado. Quero dizer para vocês que a nossa chapa de deputados federais e estaduais é composta por pessoas de luta e que têm o compromisso de defender o nosso povo na Assembleia e na Câmara. Por último, quero agradecer a você por ter ficado assistindo até agora o nosso debate, e te convido para conhecer melhor nossas propostas nas redes sociais”.

Leia mais sobre Eleições 2022 no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias

Veja também: