Empresa baiana registra alta de 131% nas vendas de produtos


A pandemia e as restrições impostas para conter o avanço do Coronavírus, mudaram os hábitos dos brasileiros, inclusive os sexuais. Com mais tempo dentro de casa, muitas pessoas recorreram aos famosos "brinquedos sexuais" para apimentar não só a relação, mas também buscar o próprio prazer. 

A relação entre sexo e bem estar fez com que uma empresa baiana de sexy shop visse suas vendas aumentarem em 131% no último ano. É o caso da empresa Sexy Boutique. Com o salto nas vendas, a proprietária do negócio, Ana Paula Carmo, se viu diante da exigência de se dedicar integralmente a empresa, que desde 2013 funcionava como um projeto paralelo a sua atividade profissional.  

Foto: Divulgação 

“Com a pandemia as pessoas ficaram mais em casa e muitas resolveram incrementar suas relações sexuais. Em alguns casos, principalmente para as mulheres, o distanciamento social e a possibilidade de contaminação pelo Coronavírus foram algumas das motivações para comprar os produtos eróticos, buscando manter uma rotina de prazer”, analisa Ana Paula.

Ainda segundo a empresária, com o aumento das vendas veio também a mudança de perfil dos consumidores. A Sexy Boutique registou um crescimento na procura dos produtos do sex shop, principalmente por clientes que nunca tinham utilizado. A empreendedora Mariana Silva é uma delas. “Me interessei em Sex Shop após terminar um relacionamento de muitos anos durante a pandemia. Como teria que manter distanciamento social e tinha uma vida sexual ativa, achei que seria uma solução para o momento que se iniciava e foi a melhor decisão que tomei”.

Além de ajudar nas relações sexuais, a utilização de produtos eróticos também contribui com a saúde. “Primeiro que você conhece mais o seu corpo e onde sente mais prazer. Por consequência, melhora autoestima, o desejo e a saúde íntima da mulher”, explica Ana Paula Carmo. E a cliente Mariana Silva já tem encontrado benefícios após o uso do produto. “Já não vivo sem ele, além de me satisfazer na hora que desejo, ainda trabalha minha ansiedade”.

Segundo uma pesquisa do portal MercadoErótico.org, o Brasil vendeu mais de 1 milhão de vibradores, apenas entre março e maio de 2020, e eles continuam sendo os campeões de vendas. Na Sexy Boutique, os preferidos do público consumidor são os vibradores de sucção, vibradores para casal de sucção com penetração e o Bullet, que é mais moderno e tem controle pelo celular via bluetooth.