GIl 80 anos

Estrela baiana, sucesso mundial: relembre histórico de prêmios de Gilberto Gil

Gil saiu vitorioso duas vezes do Grammy Awards, que é considerada a maior premiação de música existente

Victoria Dowling
26/06/2022 às 19h00

5 min de leitura
Gilberto Gil: "disco perdido" com músicas inéditas vem à tona

Gilberto Passos Gil Moreira – ou apenas Gilberto Gil – é, sem sombra de dúvidas, um verdadeiro ícone da música brasileira. Representando a capital baiana da melhor forma possível mundo à fora, o prestígio do cantor ultrapassa os limites nacionais. Desde 1966, no Festival de Música Popular Brasileira (MPB), o artista vem sendo premiado por suas brilhantes composições e performances.

Festivais de MPB e da Canção

Segundo a biografia de Gilberto Gil, um ano marcante em sua carreira, justamente por ser um dos principais pontapés para a mesma decolar, é 1965. Em março do ano, Gil apresenta o seu primeiro show individual, no Teatro Vila Velha, em Salvador. A sua participação em festivais começou no mesmo período, com música “Iemanjá” (com Othon Bastos), cantada no 4º Festival da Balança, da Universidade de Mackenzie, em São Paulo.

No ano seguinte, 1966, o reconhecimento vem de forma ainda mais evidente. Como compositor, Gil concorre no 1º Festival Internacional da Canção, da TV Rio, no Rio de Janeiro, com a canção “Minha senhora” (parceria com Torquato Neto). Ainda no mesmo ano, o mestre concorre no 2º Festival de Música Popular Brasileira, da TV Record, em São Paulo, com “Ensaio geral” – onde ficou em 5º lugar. Apesar de não interpretar as músicas, o artista já vinha se destacando no cenário musical nacional, chegando a lançar um compacto, pela Philips, com as duas canções apresentadas nos festivais.

Mais um outubro chegou e com ele, outra edição do Festival da Música Popular Brasileira. No 3º Festival da MPB, em 1967, Gil e Os Mutantes trouxeram “Domingo no parque”, que foi classificada em segundo lugar. Vale pontuar a importância dessa participação para o nascimento do Tropicalismo, movimento de vanguarda da MPB.

Assim como dois anos antes, Gil participa do 4º Festival de Música Popular Brasileira, com “Divino, maravilhoso”, conquistando o terceiro lugar, em 1968. Ele também do Festival Internacional da Canção, com “Questão de ordem”.

Incontáveis premiações nacionais + Grammy Awards e prestígio internacional

Daí em diante, são inúmeros prêmios conquistados por Gilberto Gil. Dentre os recebidos em território nacional, estão: Golfinho de Ouro (RJ), 10º Prêmio Shell para a Música Brasileira (RJ), Prêmio Sharp de Música (RJ), Prêmio Multishow de Música Brasileira, Prêmio Contigo MPB FM de Música, Prêmio Função Darcy Ribeiro, Prêmio da Música Brasileira (RJ) e Chamber Prize 2019.

E, quando falamos de suas premiações é impossível não falar de suas vitórias no Grammy Awards, a maior premiação musical existente: em 1988, Gilberto Gil foi o ganhador na categoria “Best World Music Album” (em tradução livre, “Melhor Álbum Musical do Mundo”) com o álbum “Quanta Live” – título do CD “Quanta gente veio ver” no exterior. Em 2006, o álbum “Eletracústico” levou o Grammy de “Best World Music Album”. Em outras ocasiões, Gilberto foi indicado, como foi o caso em 2007 e 2015.

Gil também foi destaque no Grammy Latino, em 2001, na categoria “Brazilian Roots/Regional Álbum” (em tradução livre, “Raízes Brasileiras/Álbum Regional”) com o álbum “As Canções de Eu, Tu, Eles”. No ano seguinte, a estrela ganha mais um Grammy Latino na mesma categoria, com o álbum “São João Vivo”. No terceiro ano consecutivo pode pedir música? Gil, mais uma vez, é premiado pelo Grammy Latino, desta vez, indicado pela sua personalidade.

Em 2010, o soteropolitano não só ganhou um, como dois Grammys Latinos, nas categorias de Melhor Álbum de MPB, com “Bandadois”, e Melhor Álbum de Native Brazilian Roots, com “Fé na Festa”. Em 2012, o mestre ganha outro Grammy Latino com o “Especial Ivete, Gil e Caetano”, na categoria Melhor Álbum de Música Popular Brasileira. Em 2019, o Grammy Latino recebido por Gil foi devido ao trabalho “OK OK OK”, que ganhou como Melhor Álbum de Música Popular Brasileira.

Sucesso no Brasil, no Grammy e no mundo, o baiano vence mais um prêmio internacional, o Polar de Música de 2004, concedido pela Real Academia Sueca de Música. Em 2005, o artista não sai vitorioso do Polar, como recebe a premiação das mãos do rei Carl Gustaf 16º. Ainda na Europa, o artista recebe, em 2013, o “Grands Prix SACEM 2013”, em Paris, na França.

E se engana quem pensa que Gil só foi premiado por suas canções. No ano de 2011, o Prêmio Ricardo del Valle foi concedido à figura em Madri, na Espanha, sobre o uso de tecnologias sociais de Gil por sua luta pela “democratização da cultura em seu país” e por impulsionar a “convergência entre a educação e as tecnologias”.

Conheça mais sobre a estrela baiana em seu museu digital!

Leia mais de Gil 80 anos no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias