Futebol

Título ou novo vexame? Como chega o Brasil para a Copa América

Apesar da ausência de Neymar e de jogadores como David Luiz, Roberto Firmino e Oscar, o técnico Dunga tem uma ideia estabelecida para a competição

Redação iBahia
17/05/2016 às 7h42

6 min de leitura

Redação Goal
O Brasil começa no próximo mês a luta por sua nona Copa América. Sem o capitão Neymar , que ficou de fora para disputar os Jogos Olímpicos do Rio em agosto, o técnico Dunga optou por uma equipe mais jovem para a edição centenária da Copa América.

Danilo, David Luiz, Marcelo, Oscar, Fernandinho, Kaká e Roberto Firmino, antes favoritos de Dunga agora estão fora da lista, mas no entanto o Brasil deve chegar na América do Norte com os 11 bem definidos. A falta de grandes nomes foi manchete no mundo todo, mas as ausências vão exigir apenas pequenos ajustes que serão concluídos no dia 29 de maio, no duelo da Chevrolet Brasil Global Tour diante do Panamá, em Denver.Abaixo, vamos dar uma olhada no que podemos esperar e melhorar da decepcionante eliminação nas quartas de final do ano passado. No gol, o goleiro Alisson ganhou sua oportunidade em outubro, depois que Dunga perdeu a paciência com Jefferson que parecia intocável no gol brasileiro.Goleiro
Aos 23 anos Alisson fez sua estreia na vitória por 3 a 1 sobre a Venezuela em jogo válido pelas Eliminatórias  Copa do Mundo depois que Jefferson não conseguiu impressionar o comandante na derrota por 2 a 0 para o Chile alguns dias antes. Ele ficou no gol nos outros quatro últimos duelos pelas Eliminatórias e impressionou no empate em 2 a 2 contra o Paraguai na última partida. Ele estará sob a pressão de Diego Alves, do Valência, que voltou ao time após uma grave lesão no joelho. Talvez Alisson nunca tivesse tido a oportunidade caso Diego Alves não tivesse se machucado. Mas agarrou a chance com as duas mãos e é indiscutivelmente o camisa 1 da Seleção.Zagueiros
Para o quarteto de zaga uma exceção: David Luiz não foi convocado e será substituído por Gil, do Shandong Luneg. David Luiz é o segundo zagueiro mais utilizado por Dunga (13) e foi capitão em duas oportunidades. No entanto, um cartão vermelho contra a Argentina em novembro e um amarelo em Março contra o Uruguai, lhe rendeu uma suspensão em duas partidas.Junto com as dificuldades para conter Luiz Suárez, Dunga parece ter perdido a paciência e vai dar a oportunidade para o ex-corintiano Gil. Ele vai estar acompanhado de Miranda, que tem sido um pilar de consistência e jogou todos os 22 jogos no comando do atual treinador. O jogador da Inter deve comandar a defesa.

Laterais
Em grande fase, Filipe Luis permanecerá como lateral-esquerdo, e Daniel Alves do Barcelona continuará na direita. Os olímpicos, Douglas Santos e Fabinho vão ser os respectivos reservas.Meias
No meio-campo, o corintiano Elias deve retornar. Ele formou uma forte parceria com Luiz Gustavo antes da lesão e foi muitas vezes preferido sobre o Fernandinho. A maior vantagem nas duas últimas rodadas das Eliminatórias foi o surgimento de Renato Augusto. Sua decisão de ir para a China foi muito criticada mas o craque tem sido indiscutivelmente o melhor jogador do Brasil nas últimas quatro partidas, marcando duas vezes.Ele será encarregado de preencher o vazio criativo deixado por Neymar. Wilian tem sido apontado por muitos como o jogador que tem o desempenho mais consistente do Brasil desde a Copa do Mundo de 2014. O jogador do Chelsea tem se destacado desde a chegada de Dunga, sua ética de trabalho incansável complementando sua vontade de assumir a responsabilidade será essencial.Willian provavelmente vai começar pelo lado direito do meio-campo atacando e com responsabilidade de dar suporte ao atacante, com Douglas Costa pela esquerda. A grande mudança tática é ter os seus homens da frente se movimentando constantemente, com a possibilidade de trocar de posição durante os jogos. Lucas Lima, Rafinha, Coutinho e Casemiro devem travar uma batalha para definir quem poderá iniciar as partidas.Atacantes
O ataque tem sido um problema desde a Copa do Mundo de 2014 com os comentaristas sugerindo que o Brasil está sofrendo sem grandes talentos na posição. Dunga tentou solucionar através da introdução de um falso 9, mas ainda não encontrou alguém capaz de convencê-lo. Diego Tardelli, Luiz Adriano, Robinho, Roberto Firmino e Jonas demonstram idas e vindas.Com 36 anos de idade, Ricardo Oliveira está vivendo uma boa fase e é o favorito para começar entre os 11, embora ele tenha características de presença de área mais forte. Ele vai encarar a concorrência com Hulk, outro que já foi testado na posição e ainda pode reivindicar sua própria posição dentro de campo.O mais interessante poderia ver Gabriel “Gabigol” Barbosa em campo. Ele é outro jogador que vai se juntar a Neymar nos jogos Olímpicos do Rio. Com 19 anos ainda é joia do Brasil. Ele está em grande fase no Santos e poderia muito bem ser o futuro da Seleção. Dunga deve formar uma linha com variações de 4-3-3, que pode se transformar no 4-5-1 ou no 4-2-3-1.A ausência de Neymar significa que o Brasil será forçado a enfrentar seus dois maiores problemas. Eles podem sem Neymar? E quem pode ser o camisa 9 do Brasil? Chegando apenas a um ano após a edição do ano passado, a Copa América Centenário certamente não é a prioridade do Brasil. No entanto, uma boa exibição nos Estados Unidos poderia dar moral para os Jogos Olímpicos do Rio e dar a Dunga um pouco de alívio da pressão que vem enfrentando nos últimos meses.