Festa de Nossa Senhora da Conceição reúne fiéis e devotos no Comércio, em Salvador


Foto: Max Haack/Ag Haack

A Padroeira da Bahia, Nossa Senhora da Conceição da Praia, é celebrada nesta quinta-feira, 8 de dezembro. Com o tema “Olha a estrela, invoca Maria, Nossa Senhora da Conceição da Praia, Padroeira da Bahia”, a Basílica Santuário que fica no bairro do Comércio reúne devotos e fiéis desde o início da manhã.

As homenagens começaram com fogos na alvorada e missas às 05h e às 06h. As próximas celebrações estão previstas para às 7h30, às 12h30, às 14h, às 15h30 e às 17h.

Foto: Max Haack/Ag Haack

O ponto alto dos festejos será a missa presidida pelo Arcebispo de São Salvador da Bahia e Primaz do Brasil, Cardeal Dom Sergio da Rocha, às 9h. Em seguida, a tradicional procissão passará pelas principais ruas do bairro Comércio, retornando para a Basílica – onde os fiéis recevem a bênção com o Santíssimo Sacramento. O cortejo terá a presença das imagens de Nossa Senhora da Conceição, Deus Menino, Santa Bárbara, Senhor do Bonfim e São José.

Por dois anos, a missa campal e a procissão não aconteceram por causa da pandemia da Covid-19. Em 2021, foi realizada apenas uma carreata pela região da Cidade Baixa, além de missas na basílica que fica no bairro do Comércio. No entanto, a entrada na igreja foi restrita a 400 pessoas com uso de máscara obrigatório.

Foto: Max Haack/Ag Haack

O religioso falou com a imprensa sobre a importância de se manter unido. “Por isso que é tão importante esse momento, nós precisamos caminhar juntos. Precisamos unir cada vez mais superar, as dificuldades que temos passado na pandemia, vivenciar a paz, que Jesus vem nos trazer. E isso nós fazemos juntos. Por isso que é tão importante esse momento. Que alguém possa rezar e celebrar pessoalmente é importante, mas fazer isso juntos é mais ainda porque certamente nos animamos a caminhar juntos e juntos construir a paz, superar os desafios da pandemia”

A pandemia do coronavírus, citada por Dom Sergio, impediu que a festa religiosa – que inclui missa campal e procissão – acontecesse durante dois anos. Em 2021, foi realizada uma carreata pela região da Cidade Baixa, além de missas na basílica que fica no bairro do Comércio. No entanto, a entrada na igreja foi restrita a 400 pessoas com uso de máscara obrigatório.

Para homenagear a padroeira da Bahia, o iBahia reuniu alguns depoimentos de devotos, fiéis e trabalhadores que participaram da celebração nesta quinta-feira. Confira:

  • Ju Moraes, cantora
Foto: Isla Carvalho / iBahia

“É um ano de retomada de tudo, também das festas populares. Ainda de uma forma pequena, mas as pessoas já estão aderindo. Eu vim hoje com minha mãe e minha irmã porque não sou católica, sou do camdomblé, então não costumo vir para igreja. Mas elas são devotas… e quem não é devoto de Nossa Senhora, né? Estamos todos juntos nisso”

  • Miriam Jesus Ribeiro da Silva, 39 anos
Foto: Bianca Andrade / iBahia

“É muito bom voltar. A gente sempre vem e estava sentindo falta. Frequentamos essa igreja sempre que conseguimos. Eu sou de Brasília e faz oito anos que a gente acompanha a festa. A última vez que a gente veio foi bem pequeno por causa da pandemia. É uma tradição da família do meu marido”

  • Sônia Conceição, 53 anos
Foto: Bianca Andrade / iBahia

“Está devagar [a venda], mas está melhorando. Sempre trabalhei em festas populares, Santa Bárbara foi bom. Acho que vai continuar melhorando porque o pessoal tem muita fé”

  • Fátima Cristina Santos, 55 anos
Foto: Bianca Andrade / iBahia

“É muito maravilhoso. É tudo de bom, é tudo que a gente estava precisando, voltar com nossas festas religiosas, é muito importante. Eu só estou um pouco triste porque muita gente sem máscara, aí é complicado. Mas é isso mesmo, cada um faz sua parte. Desde que me entendo por gente eu venho [para festa], é uma tradição de família”

  • Ivone da Cruz, 86 anos
Foto: Bianca Andrade / iBahia

“Minha história com Nossa Senhora da Conceição é longa. Eu sempre venho. A oportunidade de poder acompanhar ela, com todo prazer, me sinto satisfeita, livre. É uma benção que Deus nos deu, acompanhar ela. Eu ainda tenho medo [por causa da pandemia], temos que andar com cautela, com máscara, álcool, longe do tulmulto”

  • Maria José, 35 anos e Valdemira Silva, 76
Foto: Bianca Andrade / iBahia

“Sou de Pernambuco, moro aqui há 14 anos e nunca tinha vindo. Tinha vontade de conhecer e trouxe meu filho esse ano”

“Eu venho todo ano. Já é tradição, graças a Deus. Estou mais segura agora, para voltar às festas religiosas. Tem que sempre frequentar a igreja para pedir tudo de bom para nós”

  • Marcelo Conceição Gomes, 44 anos

“É a fé muito grande das pessoas, hoje as pessoas vieram agradecer, pedir paz e saúde. E pedir que essa doença [covid-19] pare nesse mundo, que está acabando com todo mundo. Nossa Senhora da Conceição é muito milagrosa. Viemos pedir que as pessoas tenham mais Deus no coração, sejam mais humildes, porque a doença veio para mostrar que ninguém é melhor do que ninguém

  • Cleusa Neves, 70 anos
Foto: Bianca Andrade / iBahia

“É uma emoção, desde muito mocinha eu venho para a igreja da Conceição. É isso que me deixa viva. Rezo o terço da misericórdia 4 horas da manhã e é o que me mantém viva”

*Com informações da repórter Bianca Andrade

Leia mais sobre Bahia no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias.