Mundo

Pedófilo que abusou de 200 crianças é condenado a prisão perpétua

Ao receber a sentença de 22 penas de prisão perpétua com uma pena mínima de 25 anos, Huckle começou a orar

Redação iBahia
06/06/2016 às 11h59

2 min de leitura
O pedófilo Richard Huckle, de 30 anos, foi condenado a prisão perpétua nesta segunda-feira na Inglaterra. Huckle é inglês, e considerado o pior pedófilo da Grã-Bretanha, por ter abusado de até 200 crianças na Malásia enquanto trabalhava como professor de Inglês em áreas pobres. As informações são do jornal “Daily Mail”.

Huckle foi preso quando voltou a Londres para passar o Natal com seus pais, em dezembro de 2014. A polícia encontrou mais de 20 mil imagens de abuso infantil em seu laptop, e ele foi acusado de estuprar os menores e divulgar os crimes na internet em sites escondidos. Com a acusação, ele admitiu 71 acusações de estupro, agressão sexual e atividade sexual com crianças.

 Ao receber a sentença de 22 penas de prisão perpétua com uma pena mínima de 25 anos, Huckle começou a orar.

Em uma carta lida no tribunal numa audiência anterior, Huckle alegou que crimes sexuais eram “endêmicos” em Kuala Lumpur e que “ninguém se importava”. Ele também declarou que tinha “arrependimentos” sobre o período em que viveu na Malásia, e que melhorou sua “confiança e carisma”. Ele também culpou “fatores externos” por seu comportamento criminoso.

O juiz disse nesta segunda-feira que ele era obcecado com crianças. “Você passou anos abusando delas. Em uma de suas postagens você disse que tinha sido consumido pelo pedofilia. É claro desde as suas postagens em sites pedófilos escondidos na web, e do manual que estavam no processo de elaboração, que a sua vida girava em torno de sua obsessão com sua própria gratificação por abuso sexual de crianças”, disse. Ele também afirmou que se não tivesse sido preso o pedófilo continuaria abusando de crianças e compartilhando o “conhecimento” com outros criminosos.