Em preparação para shows na Concha Acústica, Daniel Boaventura redescobre baianidade: ‘Energia do trio elétrico’


Daniel Boaventura
Foto: Reprodução/Instagram

Após dois anos longe dos palcos de Salvador, Daniel Boaventura está em preparação para a realização de dois shows no Teatro Castro Alves.

As apresentações acontecem nos dias 27 e 28 de agosto, às 21h, e 20h, respectivamente, e os ingressos estão à venda com valores à partir de R$60 no Sympla.

“Faz muito tempo, sinto muita falta de fazer show em Salvador, eu tenho feito alguns shows, mas foram corporativos e fora da cidade. Fazer show no Teatro Castro Alves é para qualquer artista baiano, para qualquer artista brasileiro ou internacional um deleite, né? Então, na realidade é uma felicidade dupla, tripla, poder voltar a cantar na Bahia depois dessa pandemia”, disse o cantor em entrevista ao iBahia.

Com um repertório que vai de baladas românticas, o show finaliza com uma verdadeira balada recheada de sucessos disco e dance music.

“O repertório ele é um repertório que já tá rodando, né? Que eu toquei em Moscou, eu toco sempre no México, onde eu tô tendo cada vez mais turnês e também em São Paulo”, iniciou.

“Meu público já conhece boa parte do repertório, mas haverá novidades e sempre como acontece em meus shows, vai terminar numa balada. Uma festa baile que vai ser muito bacana. Porque os meus shows tem uma certa influência teatral, assim eu vejo”, completou.

Foco na música

Longe da TV desde o final de “Éramos Seis”, novela onde interpretou o cantor Adoniran, Daniel Boaventura segue focado na música e não pensa em retornar para as novelas.

“Eu comecei como músico, como cantor na minha carreira artística, e acho que foi uma curva necessária ter feito televisão e ter feito teatro musical, como estou em cartaz agora com A Família Addams, que é o maior sucesso de bilheteria de durabilidade no Brasil atualmente”, iniciou o cantor.

“Mas o show realmente tá falando mais alto para mim, a minha a minha fé musical, meu verbo como intérprete é o que fala mais forte e eu confesso que eu encontrei um novo estímulo nessa experiência internacional. Eu nunca pensei, por exemplo, que cantaria em espanhol, nunca pensei. Essa coisa do México, da Rússia, futuramente Estados Unidos e América do Sul, o que está trazendo para mim? Definindo o que para sempre esteve forte em mim que é a música”, explicou Daniel.

Foto: Marcos Hermes/Divulgação

Porém, os palcos dos teatros e trabalhos em novelas foram necessários para a evolução do artista como cantor e para a criação dos shows e turnês internacionais.

“A televisão, a prática da televisão, do cinema, da dublagem, estar envolvido em todas essas mídias, me deram uma flexibilidade no palco que eu levo comigo eu levo comigo para todas as searas da arte que eu faço”, completou.

Redescobrindo a baianidade

Entre idas e vindas para a capital baiana, Daniel Boaventura segue explorando cada vez mais a baianidade e redescobrindo a magia do carnaval e do axé.

Em uma das passagens por Salvador, o cantor revelou que foi convidado para um show onde teve a oportunidade de dividir o palco com Alexandre Peixe e sentir o calor e energia do ritmo musical.

“Eu tô redescobrindo minha baianidade, eu fui para o ‘Axézin’, a convite de meu primo postiço o João Portela, e sempre conto que obviamente encontro peixe lá, né, Alexandre Peixe e ele me chama para cantar e eu acabo cantando ‘Minha Pequena Eva’”, disse.

“Muita gente pensa que meu show é romântico, baladas, o que eu também gosto, adoro, mas o meu show é realidade. Ele tem muito dessa energia do trio elétrico dentro do teatro porque tem hora que eu engato em repertório que vai de Barry White, Elvis Presley, que embala assim de uma maneira muito pulsante”, continuou.

“Então as pessoas acabam levantando e dançando e eu adoro essa troca de energia e isso eu senti por exemplo muito similar no Axézin. É uma energia muito impressionante, então é essa experiência de poder cantar esses clássicos de carnavais da década de 70 de 80, 90, né?”, completou.

Parcerias do axé

Abraçando cada vez mais a baianidade, Daniel Boaventura, que já gravou parceria natalina com Ivete Sangalo, revelou que gostaria de gravar músicas com artistas baianos.

“Eu respondo com ênfase que seria um prazer, sabe, cantar com Durval (Lellys), cantar mais com o (Alexandre) Peixe, arriscar cantar uma (nova) música com a Ivete, né? Porque é uma identificação com o público diferente, entendeu?”, afirmou o cantor.

Daniel Boaventura – Tour 2022

  • Onde? Teatro Castro Alves
  • Quando? 27 e 28 de agosto de 2022
  • Vendas: Sympla e bilheteria do Teatro

Valores:

  • A a P – 200,00 (inteira) e 100,00 (meia)
  • Q a Z6 – 160,00 (inteira) e 80,00 (meia)
  • Z7 a Z11 – 120,00 (inteira) e 60,00 (meia)

Leia mais sobre Música em iBahia.com e siga o Portal no Google Notícias