Saúde

Hérnia de disco: entenda a doença que fez Wesley Safadão cancelar shows

Crise fez com que o cantor fosse internado com fortes dores na coluna e dormência nas pernas

Redação iBahia
30/06/2022 às 13h53

3 min de leitura
Foto: Reprodução/ Instagram

Wesley Safadão precisou interromper a agenda de shows durante o São João por causa de uma crise de hérnia discal entre a terceira e a quarta vértebra lombar. Na Bahia, ele precisou desmarcar um show em Salvador, que aconteceria na sexta-feira (1º), no Parque de Exposições, e outro em Itiruçu, no Forró do Coffee. 

A crise de hérnia discal fez com que o cantor fosse internado com fortes dores na coluna e dormência nas pernas. Esses são alguns dos sintomas causados pela hérnia, que é causada pelo deslocamento do disco intervertebral, estrutura cartilaginosa da coluna, como explica o médico cirurgião em coluna Fabrício Chies. 

A rotina agitada e sem descanso de um cantor de ponta como Safadão pode ajudar no desenvolvimento da hérnia, mas a causa é variada. “Depende da pessoa, da rotina, do sobrepeso, do fator genético, do sedentarismo, entre outros fatores”, pontuou o especialista. 

Mas uma coisa é certa: durante a crise, a dor é insuportável. Chies explica que a dor transita pelo nervo da perna e causa uma dor paralisante, de formigamento e uma falha de sustentação. Por isso, segundo o especialista, Safadão não teria condições de se ficar horas em pé em palcos durante as crises. 

“Uma pessoa com crise de hérnia não consegue ficar nem deitado, nem sentado, nem em pé. Fica constantemente mudando de posição, buscando um alívio. Imagine um canal dentário na perna, é a mesma dor”, comparou.  

Tratamento 

O cantor foi internado duas vezes neste final de semana. Após a primeira internação, ele chegou a ser liberado e manteve a agenda, mas com limitação. No entanto, na quarta-feira (29), a assessoria do artista confirmou que toda a programação de shows estava cancelada e que ele voltou ao hospital.  

Para o tratamento de uma hérnia de disco, existem algumas possibilidades. Durante as crises, é utilizada medicações venosas, além de infiltrações e bloqueios anestésicos. Para a parte tardia – quando se tem uma crise que oscila – o especialista em coluna explica que atividades físicas, como academia e pilates, além de acupuntura, são bem-vindos, a partir de recomendação e acompanhamento médico. 

Em casos mais graves, há a possibilidade de realizar uma cirurgia. Com o avanço da tecnologia, a forma mais segura e moderna é através da cirurgia por vídeo. Segundo Fabrício Chies, é uma solução definitiva. “Resolve 100%, porque resolve o extravasamento. E a partir de uma cirurgia por vídeo, que é a forma mais moderna, removemos a hérnia”, explicou.   

Leia mais sobre Celebridades em iBahia.com e siga o portal no Google Notícias