Menu Lateral Buscar no iBahia Menu Lateral
iBahia > salvador
Whatsapp Whatsapp
SALVADOR

Após arrastão, moradores reclamam da insegurança na Cardeal

Oito pessoas foram rendidas e ameaçadas, entre elas uma criança, em um prédio na Federação

• 24/12/2012 às 10:23 • Atualizada em 28/08/2022 às 22:06 - há XX semanas

Google News siga o iBahia no Google News!
Quadrilha promoveu arrastão em edifício
O ator Ricardo Albuquerque, 23 anos, saía para comprar pão, enquanto o aposentado José Nascimento, 56, a mulher, duas filhas e uma neta deixavam o Edifício Cláudia, na avenida Cardeal da Silva, na Federação, para comemorar o Natal antecipado na casa de um parente. No portão do edifício, porém, um casal de assaltantes, armado com um revólver e uma faca, obrigou todo mundo a voltar. Sob ameaças de morte, eles amarraram e amordaçaram os moradores, antes de saquear os apartamentos das duas famílias. “Eles diziam que iriam matar a gente de faca, porque de tiro iria fazer muito barulho”, contou o ator que há dois anos mora no edifício. O crime ocorreu no final da manhã deste domingo e as vítimas ficaram reféns por cerca de uma hora. No apartamento do aposentado, no subsolo, o primeiro a ser saqueado, Ricardo e os familiares de José relataram momentos de pânico. “Uma das filhas de José estava nervosa e falava muito. Um dos assaltantes disse que se ela não calasse a boca iria estuprá-la com um cabo de vassoura”, acrescentou o ator. Assim que todos entraram no apartamento do aposentado, um segundo casal de bandidos chegou. “Botaram a gente no sofá e disseram que queriam dinheiro e joias. As duas mulheres se dividiram e vasculharam os quartos. Pegaram roupa de cama, toalha, tudo que encontravam. Depois colocaram pedaços de panos nas nossas bocas e trancaram a gente no banheiro”, relatou a filha do aposentado, a administradora Taís Nascimento, 29, que há cinco anos mora no local com o pai, uma irmã, a mãe e uma filha de 7 anos. O prédio não tem porteiro. “Eles queriam que a criança parasse de chorar e diziam que se não parasse, eles iriam matar a mãe”, acrescentou o ator, que assistiu à família de José ser trancada no banheiro.
“Depois que eles amarraram e amordaçaram a gente, pensei que iriam começar a esfaquear porque jogaram um pano na cabeça de uma das minhas filhas. Foi horrível. Eu rezava o tempo todo para que eles levassem o que quisessem, mas que deixassem a gente com vida”, complementou a mãe da administradora, a aposentada Maria Clara Nascimento, 56, que conseguiu se desamarrar, mas permaneceu dentro do banheiro com a família por mais de uma hora até que o genro chegou no local. “Não abri a porta porque eles disseram que voltariam”, contou. RouboSegundo as vítimas, uma das mulheres que aparentava ter 40 anos comandava o grupo. Após roubarem uma TV de 32 polegadas, roupas, cartões de crédito, perfumes e notebooks do apartamento de José, ela quis ir embora, mas um dos assaltantes insistiu em subir para o apartamento de Ricardo, no 1º andar. “Um deles colocou a arma nas minhas costas e disse que eu tinha três opções: ou ir com eles, ou levá-los até meu apartamento ou então ele iria estourar meus miolos”, disse o ator, que divide o apartamento com o irmão, Rafael Albuquerque, 24, e um amigo, o diretor teatral carioca Thiago Romero, 30. “Eles já entraram rendendo meu irmão, deram chutes nas costas dele e acordaram meu amigo com uma arma na cabeça”, relembrou. Para amarrá-los, os assaltantes cortaram os fios dos computadores e amordaçaram o trio com pedaços de pano do figurino do espetáculo Breve, que o ator e o diretor teatral guardavam em casa. A peça tem estreia prevista para o Teatro Vila Velha no dia 5 de janeiro. Além de três notebooks, quatro celulares e aparelho de DVD, os assaltantes levaram R$ 3.400 de Thiago. “Não sei como vai ser com toda essa perda. Parte do dinheiro era da produção”, lamentou ele. “Foi tudo muito planejado. Eles ainda escolhiam o que queriam. A TV antiga pesada e um DVD velho, eles não quiseram. Depois ligaram para uma quinta pessoa e deram as instruções para chegar até o prédio”, destacou Ricardo. As vítimas relataram que um dos assaltantes, que não tinha os dentes da frente, foi chamado pelos comparsas de Polegar. “Quando ouvimos o barulho do portão batendo, a gente conseguiu se desamarrar e fomos na casa de um vizinho para ligar para a polícia”, emendou o ator. As vítimas disseram que conseguiram ver os criminosos fugindo em um Gol de placa JPN 8200. O caso será investigado pela 7ª Delegacia (Rio Vermelho). Até o fechamento da edição, às 22h, ninguém havia sido preso. Moradores reclamam da segurança na Cardeal da SilvaPrincipal avenida do bairro da Federação, a Cardeal da Silva é alvo de reclamações por parte dos moradores. “Já teve moradores que foram assaltados na frente do prédio. Aqui é perigoso”, destacou o ator Ricardo Albuquerque, 23, morador do Edifício Cláudia, onde dois casais de assaltantes saquearam apartamentos no final da manhã de ontem. “Foi horrível. A gente achou que ninguém ia sair vivo. Minha filha de 7 anos não queria voltar para casa”, completou a administradora Taís Nascimento, 29. O medo se estende para moradores de outros prédios da avenida. “A gente tem medo de assaltos por aqui. Já cansei de ver gente sendo roubada. Tem dois homens que passam direto roubando”, reclamou a professora Cláudia Pinho, 51 anos, que há três anos vive no local. “Aqui não tem segurança. À noite é pior porque fica deserto. Já fui assaltada por um adolescente que estava em uma bicicleta. Levaram meu celular e um mp3”, contou a estudante Juliana Marçal, 27, que há cinco anos vive no bairro. O CORREIO procurou o major da 41ª CIPM, Jutamar Oliveira, para comentar o assunto, mas ele não foi localizado. Matéria original: Correio 24h Após arrastão, moradores reclamam da insegurança na avenida Cardeal da Silva

Leia mais:

Venha para a comunidade IBahia
Venha para a comunidade IBahia

TAGS:

RELACIONADAS:

MAIS EM SALVADOR :

Ver mais em Salvador