Violência

Mãe de adolescente de 15 anos assassinada no Campo Grande pede justiça: ‘Ferida que não vai cicatrizar rapidamente’

Cristal Rodrigues Pacheco foi assassinada na manhã de terça durante uma tentativa de assalto

Redação iBahia
03/08/2022 às 19h51

5 min de leitura
Foto: Reprodução/Redes Sociais

A mãe de Cristal Rodrigues Pacheco, assassinada no Campo Grande, em Salvador, na terça-feira (2), em uma tentativa de assalto, falou pela primeira vez sobre a morte da filha. Sandra Rodrigues relembrou, em entrevista ao BA TV, o assalto que resultou no assassinato da filha de 15 anos.

“Foi tudo muito rápido. Fui abordada por duas mulheres e elas simplesmente anunciaram o assalto. Eu disse a ela que não tinha celular. Ela disse que eu tinha relógio e aliança. Ela abaixou a cabeça e me mostrou que tinha uma arma, no manuseio ela atirou minha filha, que estava a um metro de mim, encostada no muro. Ouvi os desparos e vi minha filha desfalecendo. Elas não levaram nada e saíram correndo”, contou.

Sandra pediu justiça e afirmou que tem reunido forças no apoio que a família vem recebendo. Na manhã desta quarta (3), amigos, familiares e pais de colegas e amigos de Cristal fizeram um protesto no Campo Grande.

“Me senti abraçada, acarinhada, em saber que minha filha é muito querida. Não consegui participar [do protesto pela morte de Cristal] porque o coração está muito partido, eu estou sofrendo muito, minha pequena que presenciou tudo, meu marido também. É uma ferida que não vai cicatrizar rapidamente. Estamos pedindo força para Deus e quero pedir Justiça. Ela era amada e acontecer algo assim a caminho da escola, do nada”, disse.

Foto: Muller Nunes/TV Bahia

Prisão de uma das suspeitas
Cristal Rodrigues Pacheco foi assassinada na manhã de terça durante uma tentativa de assalto no Campo Grande. Uma das mulheres envolvidas no assassinato foi presa no final da tarde de terça, após ser localizada dentro de uma construção abandonada em uma invasão, em Alto de Coutos, no Subúrbio Ferroviário.

A Polícia Civil continua em busca da segunda envolvida no crime, que, assim como a suspeita presa, foi identificada ainda durante a manhã. A presa será conduzida ao DHPP, onde será ouvida e, posteriormente, autuada em flagrante.

Ela tinha passagens pela polícia pelos crimes de roubo e tráfico de drogas, e estava foragida desde março. A informação foi divulgada pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) nesta quarta-feira (3), um dia após o crime

Conforme a SSP, em 2011, a mulher foi flagrada comercializando entorpecentes em Salvador. Quatro anos depois, em 2015, ela voltou a ser presa e foi autuada na 5ª Delegacia Territorial (DT) de Periperi por prática de roubos. Já 2017, ela foi detida com cocaína e apresentada na 14ª DT da Barra.

A suspeita, que foi identificada como Gilmara Daiam de Sousa Brito, de 31 anos, contou em depoimento que não tinha sido ela que atirou, o que coloca a culpa do disparo na outra suspeita que participou do crime.

A outra mulher já foi identificada pela polícia, mas ainda não foi encontrada. A prisão dela foi pedida pela polícia para a Justiça, mas ainda não houve um retorno. A suspeita, que não teve o nome divulgado, está sendo procurada por policiais militares e civis, que realizam buscas desde a terça-feira. O caso segue sob investigação.

Relembre o caso

Cristal tinha 15 anos e foi baleada no peito. Ela estava a caminho da escola com a mãe e a irmã mais nova, de 12 anos, quando foram abordadas pelas duas assaltantes.

O crime aconteceu pouco antes das 7h, na frente do Palácio da Aclamação, a poucos metros do Quartel dos Aflitos. Câmeras de segurança instaladas na região registraram os momentos antes, durante e depois do latrocínio.

Em um dos vídeos, a garota aparece de braços dados com a mãe, enquanto a irmã mais nova caminha solta, ao lado delas.

Em outras imagens, que foram cedidas ao iBahia pelo g1, dá para ver o momento exato do crime. No vídeo, dá para ver duas mulheres atravessando e seguindo em direção à família. Em seguida, elas abordam as meninas e a mãe delas.

Em determinado momento, a garota é baleada e cai. As mulheres fogem com pertences das vítimas. A mãe da menina baleada tenta prestar socorro a ela. A ação dura segundos. As criminosas estariam com uma faca e uma arma. A dupla fugiu em direção ao bairro do Dois de Julho.

A suspeita que foi presa foi localizada dentro de uma construção abandonada em uma invasão, no bairro de Alto de Coutos, no subúrbio ferroviário de Salvador. Em seguida, ela foi encaminhada para o Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), onde foi ouvida e autuada em flagrante.

corpo da adolescente foi enterrado no final da tarde da terça-feira no Cemitério Campo Santo, no bairro da Federação. Dezenas de amigos e familiares estavam presentes, incluindo os pais de Cristal. A cerimônia foi marcada cor muita comoção.

Leia mais sobre Salvador em iBahia.com e siga o Portal no Google Notícias