Salvador

Maternidade Tsylla Balbino recebe 15 novos leitos

São dez leitos na Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal e cinco leitos do tipo Canguru; o investimento foi de R$ 171 mil

Redação iBahia
16/05/2016 às 21h15

3 min de leitura
A Maternidade Tsylla Balbino, localizada na Baixa de Quintas, recebeu nesta segunda-feira (16) dez novos leitos para a Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (UCIN) e cinco leitos do tipo Canguru. De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), a entrega dos equipamentos faz parte da obra de reforma e ampliação da maternidade e custou R$ 171 mil.

Maternidade Tsylla Balbino, em Salvador, ganhou 15 novos leitos (Foto: Sesab / Divulgação)

Maternidade Tsylla Balbino, em Salvador, ganhou 15 novos leitos
 (Foto: Sesab / Divulgação)

A maternidade realiza uma média de 900 atendimentos e 300 partos por mês, oferecendo serviços de pré-natal, consultas com médico obstetra, enfermeiros, nutricionista, assistente social e fisioterapeuta. A unidade realiza também atendimento odontológico e psicológico para gestantes. A UCIN é responsável por atender recém-nascidos que necessitam de atendimento médico especial e que não podem permanecer com a mãe após o parto. Os leitos tipo Canguru incentivam o contato entre mães e bebês em situação de baixo peso através do aleitamento, a fim de reduzir riscos de infecção hospitalar. A Bahia possui 1.494 leitos de cirurgia obstétrica e 2.286 leitos em maternidades na rede pública. Até abril de 2016, existiam 318 leitos de UTI Neonatal no estado, segundo o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). Desses, 208 são exclusivamente do Sistema Único de Saúde. 
Parto no chão
No dia 1º de maio, a Maternidade Albert Sabin, no bairro de Cajazeiras, realizou um parto no chão por causa da superlotação da unidade. Em denúncia ao CORREIO, um profissional da maternidade relatou ainda que pacientes foram atendidas nos corredores.
“Essa mulher que pariu no chão chegou num período expulsivo. O chão foi forrado e a equipe toda atendeu, porque não tinha nenhuma maca vazia e ela precisava parir. Parto não espera. Eu não vou dizer que não aconteceu, porque aconteceu, mas foi nessa circunstância, assistida por toda a equipe e depois ela foi acomodada em uma maca”, disse a diretora da Maternidade, Maria da Conceição Santos de Jesus.
O superintendente José Raimundo Mota de Jesus, da Atenção Integral à Saúde da Secretaria estadual (Sesab), afirmou que, apesar da insuficiência de leitos, há uma demanda maior por atendimento aos finais de semana, quando os municípios vizinhos a Salvador encaminham suas pacientes para as unidades da capital. O superintendente disse ainda que o estado vem ampliando a rede e citou a construção de uma nova maternidade em Camaçari, que já tem recursos disponibilizados, e também as reformas no Instituto de Perinatologia da Bahia (Iperba) e na maternidade Tsylla Balbino, que ganhou agora mais 15 novos leitos. Leitos
A Maternidade Albert Sabin é uma das quatro unidades estaduais que funcionam em Salvador. As demais são a José Maria de Magalhães Netto (no Pau Miúdo), a Tsylla Balbino (Baixa de Quintas) e o Instituto de Perinatologia da Bahia, o Iperba (Brotas).
Correio24horas