Saúde

Conheça os transtornos e as doenças que levam à insônia

Uma pesquisa, feita pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, mostrou que o Brasil é o terceiro país que menos dorme

Redação iBahia
15/05/2016 às 18h37

3 min de leitura
Os brasileiros não estão bem cotados quando o assunto é noite bem dormida. Uma pesquisa, feita pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, mostrou que o Brasil é o terceiro país que menos dorme, entre os cem que participaram do estudo aqui, não se alcança nem a média de sono sugerida por médicos, de oito horas por dia. O brasileiro também dorme mais tarde: vai para a cama por volta das 23h40m e acorda às 7h10m, em média. Embora os motivos das “horas em claro” não tenham sido esclarecidos pela pesquisa, médicos explicam que há doenças e transtornos que levam a esse resultado.
“É preciso entender o diagnóstico do paciente e descrever como é seu padrão de sono, saber se ele tem dificuldades de iniciar o sono, de mantê-lo ou se tem um sono não reparador, em que acorda e se sente cansado”, explica Christian Naurath, neurologista do Hospital Barra D’Or.
Foto: Divulgação
O tratamento, diz o médico, pode ser feito em parceria com vários profissionais, não só o neurologista. Se associada à apneia do sono, a doença necessita do tratamento de otorrinolaringologista, e quando ligada a questões emocionais, exige atenção de um psiquiatra.
“Situações emocionais impactantes podem perturbar a tranquilidade, a qualidade e as horas de sono”, diz o psiquiatra do Hospital Adventista Silvestre, Sander Fridman, que alerta sobre a importância do diagnóstico: “Antes de iniciar o tratamento, é preciso saber a causa, seja biológica, psicossocial ou psiquiátrica”.
De acordo com a motivação do problema, o tratamento pode ser feito com remédios para induzir o sono — os hipnóticos —, ansiolíticos, antidepressivos ou até remédios naturais, explica o otorrinolaringologista e especialista em medicina do sono Wallace Nascimento de Souza: “Além do tratamento com remédios, também podem ser feitas técnicas de relaxamento, como meditação. Isso vai depender de cada um”, diz o médico. “A investigação da causa pode ser feita pelo exame de polissonografia, em que o paciente dorme na clínica para avaliação do sono”, conclui.