Sem monogamia

‘Por sermos livres, nos escolhemos diariamente’: Conheça trisal baiano que encontrou o amor na liberdade

Igor e Isa vivem juntos desde 2009 e só dez anos depois conheceram Íris, e a 'Triiiade', como se identificam, surgiu. O iBahia conta a história dessa relação no Dia dos Namorados

Alan Oliveira
12/06/2022 às 21h00

5 min de leitura
Igor, Íris e Isa / Foto: Arquivo Pessoal

“Por sermos livres, nos escolhemos diariamente. Mesmo com toda liberdade, escolhemos caminhar juntos, e isso para nós é amor”. É assim que a psicóloga Íris Ribeiro, de 30 anos, resume o relacionamento aberto e a três que vive desde 2019, quando conheceu a arquiteta Isa Farias, de 34 anos, e o eletrotécnico Igor Almeida, de 32.

Na época, Isa e Igor já se relacionavam há 10 anos, sendo 2 deles em uma relação não monogâmica. E foi justamente nos preparativos para um casamento – uma cerimônia tida como o marco da monogamia entre um casal – que Isa e Íris se encontraram. Somente depois, que Igor também foi envolvido na relação, como conta a psicóloga.

“Eu também já vinha da não monogamia. Meu processo foi um pouco diferente e veio a partir da descoberta da minha bissexualidade. Então, foi aí que conheci Isa em uma despedida de solteira de uma amiga nossa em comum. Nos envolvemos, nos conectamos. E depois de um tempo conheci Igor, e daí comecei a me relacionar com ele também”, conta Íris.

Nada foi planejado, como explica Igor. O amor entre eles aconteceu. “A gente nunca idealizou viver um trisal. Na verdade, as coisas aconteceram, e quando a gente percebeu já existia amor, construção e vontade de compartilhar a vida juntos”.

Desse encontro até os dias atuais, os três passaram a se conectar, se descobrir e a aprender ainda mais sobre eles mesmos, com a relação em que vivem.

“Os acordos existem, mas são flexíveis. Gostamos de, em primeiro momento, não impor nenhuma regra. Vivemos a experiência e a partir da vivência vamos construindo os limites. Alguns, inclusive, que já foram trazidos há um tempo, hoje não fazem mais sentido, pois tudo vai depender do momento que estamos vivendo”, detalha Isa.

A partir dessa troca e do incentivo de amigos, surgiu a ideia de criar um perfil no Instagram, onde os três compartilham todas essas descobertas, o amor, o companheirismo, e muitas outras coisas.

Batizado de “Nossa Triiiade”, pelo fato dos nomes dos três começarem com a letra i, o perfil possui atualmente mais de 26 mil seguidores. Mas não foi assim que tudo começou.

O trisal explica que inicialmente a conta era fechada para amigos e algumas outras pessoas. Somente depois que eles passaram a expor aquilo que viviam para todos.

“O receio no início era mais a família, mas, depois que todos já estavam sabendo, ficamos mais tranquilos quanto a isso. Hoje, a gente, além de mostrar um pouco de nossa vida, levamos também posts informativos com a temática da não monogamia. Esse processo é muito construtivo. Recebemos alguns feedbacks que motivam a gente a levar informação para nosso perfil também”, explica Igor.

E é dessa motivação que eles tiram ainda mais conhecimento. “Apesar de não ser um perfil muito grande, a gente recebe muitos depoimentos, seja de pessoas agradecendo, seja pedindo conselho. Também abrimos caixinha toda semana então as pessoas enviam suas questões e dúvidas. É uma troca muito rica, inclusive para a gente, que tem estudado e aprendido muito desde que criamos o Instagram”, conta Íris.

Nesse Dia dos Namorados, que está culturalmente tão ligado à monogamia, assim como tudo que envolve um relacionamento, os três lutam para combater o preconceito, como em todas as outras datas comemorativas ou não do ano.

Recado que Isa deixou muito bem dado durante a entrevista ao iBahia, quando perguntada qual mensagem deixaria para quem não compreende a relação que o trisal vive.

“Primeiro seria para olhar o trisal como um relacionamento como qualquer outro, onde há parceria, amor, construção e rotina. Tentar ver esses detalhes todos que existem. Muitas vezes, o tabu em relação ao sexo e o fetiche que envolve três pessoas acaba trazendo um olhar de julgamento. Então, busquem entender, conversar com pessoas que vivem dessa forma, para perceber que a essência da relação é o amor que existe entre os pares e entre os três que escolhem viver uma relação dessa forma”, falou Isa.

Por se escolherem e se sentirem bem em um relacionamento aberto, os três não imaginam viver em relações monogâmicas outras vez, como explica Isa.

“A monogamia é uma estrutura que dita regras dentro de nossa sociedade. Não é só sobre relacionamento e a exclusividade. A não monogamia vem para romper com esse sistema. É sobre liberdade, autonomia… sobre escolhas. Então, não seria possível pra gente estar em alguma relação monogâmica”.

Finalizando a reportagem, Íris completa o disse lá em cima, no início do texto. “Amor, liberdade e confiança é o nosso tripé, e buscamos eles através da comunicação e parceria. Para nós, o que vivemos e construímos na nossa relação é o que de fato representa o amor. Leve, sem cobrança e mantendo a liberdade individual de cada”, finaliza Íris.

Leia mais sobre Dia dos Namorados no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias