Especial Ivete 50

Zamuris de Mainha: fãs de Ivete Sangalo relatam como surgiu história de amor com a artista

Apelidados de 'Zamuris', Ivete tem consigo uma verdadeira legião de seguidores, que acompanham a artista estiver

Bianca Andrade
26/05/2022 às 7h40

5 min de leitura
Foto: Reprodução / Instagram

“Olá, eu sou sua fã… A número um sou sua fã”. Em meio a tantas parcerias marcantes feita por Ivete Sangalo, uma se destaca há mais de 25 anos de carreira, a parceria da artista com seus fãs.

Apelidados de ‘Zamuris’, Ivete tem consigo uma verdadeira legião de seguidores, que acompanham a artista estiver e não poupam esforços para demonstrar o apoio incondicional pela “Rainha do Brasil”, seja na porta do prédio onde a cantora tem um apartamento no Corredor da Vitória, ou em Nova York com a gravação do seu DVD no Madison Square Garden.

A relação da artista com seus fãs pode ser traduzida com a música “Fã”, lançada por Ivete Sangalo em 1998, na época que ainda estava na Banda Eva. A canção, uma composição de Monica San Galo, se transformou em hino dos apaixonados por Veveta e chegou a ganhar uma nova versão no DVD ‘Pode Entrar’, de 2009, com a participação dos ‘Zamuris’ em um momento intimista.

É no clima da canção que você irá conhecer a história de alguns dos “zamuris” de Ivete Sangalo:

Faço qualquer negócio para te ver na avenida ou no show: Bruna Vanessa, de 32 anos, acompanha Ivete Sangalo há 20 anos e literalmente fez qualquer coisa para ver a artista na avenida e no show. A baiana, formada em logística contou ao iBahia ter juntado dinheiro para acompanhar um momento importante da ídolo fora do Brasil, a gravação do DVD no Madison Square Garden.

Foto: Reprodução / Instagram

“Eu era de fã clube, então eu e mais seis pessoas nos organizamos na loucura mesmo, sem imaginar que daria certo ou não, mas a gente chegou lá. Foi inesquecível, uma amiga minha quase perdeu o voo, mas comigo deu tudo certo. Eu nunca imaginava ir para Nova York ver um DVD de Ivete”, conta aos risos.

Além dos Estados Unidos, Bruna participou da gravação em São Paulo e do momento em Salvador, onde dormiu por dois dias na fila para poder pegar grade. “Fiquei lá acampada”, revela ela que conta ainda seu maior perrengue como fã de Ivete:

“Teve um show que eu entrei na mala do carro para poder assistir. Se ela ver isso ela me mata (risos), mas foi maravilhoso, aproveitei demais. Ser fã de “.

Você realiza meu sonho, é minha razão de sonhar: em 2021 a web se mobilizou em uma corrente do bem para fazer com que a fã Catia Cilene realizasse um grande sonho antes de partir. Iniciada pela filha, Tayna, a tentativa era fazer com que Ivete Sangalo conversasse com a fã por uma chamada de vídeo. O sonho foi realizado.

No Twitter, a filha da fã contou que foi procurada por Cinthia Sangalo, irmã de Ivete, para mediar o encontro virtual, que aconteceu em março daquele ano.

“Boa tarde! Ivete Sangalo ligou para minha mãe! Gente, obrigada demais. Não sei o que dizer. O grande sonho da vida dela está realizado. Que ser humano é Ivete Sangalo! Sem igual. Eu que nem era virei fã demais. Ela ficou dez minutos falando com a gente. Foi super gentil, um doce. Desejou força, agradeceu minha mãe por ser fã. Minha mãe dizia que amava ela e ela disse que também a amava. Estou com o coração cheio demais. Ivete trouxe um gás que há tempos não via nela. Ela não para de chorar de felicidade”.

Em outros relatos na web, Tayna já havia contado sobre como cresceu ouvindo Ivete por conta da paixão da mãe. Catia faleceu alguns meses depois do contato com a artista, em 2021.

Quero contar meus segredos: e quando o amor de fã se transforma em uma amizade? O apresentador Gominho é um desses exemplos de “migração” da paixão. Ao iBahia, o comunicador contou como começou sua relação com a artista.

“Eu conheci o trabalho de Ivete como o Brasil inteiro conheceu, tinha meus 12 para 13 anos. E já sabia quem era ela, gostava, mas não tinha uma paixão. Até que com 14 para 15 eu fui em um show dela para curtir. Eu sempre digo que aquilo foi a coisa mais incrível da minha vida, quando eu cheguei lá e ela apareceu eu fiquei 20 minutos rindo, cantando e chorando”.

Foto: Instagram/ Rafa Mattei

Para Gominho, o encontro foi uma virada de chave. “Ali eu entendi o que era ser feliz mesmo”. O artista chegou a dormir em rodoviária para ver Ivete, viajar para outras cidades do Rio em busca da cantora. A mudança de título de fã para amigo, segundo o apresentador, aconteceu de forma natural.

“Foi muito natural, como ela mesmo fala, nossa amizade começou através da música. Ela me viu na televisão, já me conhecia porque eu era seguidor, já tirei foto com ela e tal. Mas a gente se estreitou por causa da música. Eu sempre tive o hábito de mandar música para ela, músicas de outros artistas. Ser amigo dela é um dos maiores presentes que eu tenho na vida, porque é a maior pessoa, o maior ser humano que já conheci. Ela não é o que ela é atoa”, conta.

Leia mais sobre Ivete 50 anos no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias