Felipão diz que Neymar é mais um e o craque ao mesmo tempo


A CBF driblou o padrão Fifa na véspera da estreia na Copa. A Fifa sugere que as seleções usem técnicos e capitães nas coletivas pré-jogo, valorizando seus patrocinadores. O Brasil teve Felipão e, ao invés de Thiago Silva, escalou Neymar, que falou pela primeira vez desde o início dos treinos, dia 26 de maio.

Na pergunta mais polêmica, sobre como reagiria às faltas, o técnico tomou a frente. “Tu falastes uma coisa que eu queria responder do Neymar. O árbitro tem que tomar conta. Se alguém bater e for do meu time, que seja a punido. Com o adversário, também”, deu a dica. Neymar fez tabelinha. “Eu não posso ter medo de jogar por causa da violência. A gente tem um comandante em campo e é o árbitro. Se ele vê violência, tem que punir”.
A dupla manteve-se afiada quando um repórter pediu que cada um fizesse uma pergunta ao outro. Felipão se aproximou do craque, falou algo ao ouvido e ouviu como pergunta, aos risos: “Eu jogo amanhã (hoje)? Deixa eu ficar tranquilo”, brincou Neymar. “Pode dormir”, respondeu o técnico, após fingir esconder o jogo.
O time do Brasil está confirmado. É o mesmo do título das Confederações e do 1×0 no amistoso contra a Sérvia. “Essa seleção e aquela de 2002, coletivamente, são parecidas. Existiu muita dedicação de muitos atletas que tiveram personalidade de modificar algumas situações táticas para ajudar a Seleção”, disse Felipão, citando o penta.

No embalo, aproveitou para valorizar Neymar. “Alguns jogadores em alguns momentos fazem coisas diferentes em prol da equipe. Um deles tá aqui do meu lado, que faz a marcação, que não é sua especialidade”, disse o técnico, que depois foi elogiado. “Tenho que sugar o máximo da experiência para levar não só do lado profissional, mas pessoal também”, devolve Neymar.
O último camisa 10 a marcar um gol pelo Brasil na Copa foi Rivaldo, no 2×1 sobre a Inglaterra, nas quartas de final de 2002. Ronaldinho Gaúcho e Kaká fracassaram nos Mundiais seguintes. Neymar brincou ao ser questionado sobre como gostaria de acabar as 10 partidas sem gol da camisa 10: “Espero que seja o mais fácil possível. Sabe aquelas bolas que sobram sem nada. Sem goleiro? Só empurrar?”.
Por fim, Felipão trocou a responsabilidade individual pela coletiva. “Espero que Neymar seja mais um. Ele sendo mais um e o craque que é, vai despontar. O craque será o campeão. Não adianta ser craque se não for campeão”.
Croácia faz suspense antes de estreia na Copa contra o Brasil
Adversária do Brasil na estreia da Copa do Mundo, a seleção da Croácia chegou, ontem, a São Paulo. A equipe, comandada pelo técnico Niko Kovac, adotou a Praia do Forte como local para os treinamentos e, no final da manhã, embarcou de Salvador sem muito alarde.
Os jogadores não passaram pelo saguão do aeroporto e seguiram direto para a aeronave. Na capital paulista, mais discrição ainda. Os croatas iniciaram o treino de reconhecimento no Itaquerão às 18h30, mas, depois de 15 minutos, os jornalistas tiveram de deixar o local. Nesse pequeno período, os atletas apenas realizaram o aquecimento.
A única certeza é que Mocinic, lesionado, está fora do Mundial. O jogador foi cortado e, para o seu lugar, Badelj, do Hamburgo, foi chamado. Ele, no entanto, não enfrenta a Seleção, pois só chega ao Brasil amanhã. O lateral Pranjic, com uma entorse no tornozelo, também não enfrenta o Brasil.

Matéria original: Jornal Correio*
Felipão diz que Neymar é mais um e o craque ao mesmo tempo