Escola particular apura caso de agressão de estudante a aluno mais novo dentro da instituição em Salvador


Foto: Reprodução/Street View

Um caso de agressão envolvendo dois estudantes do Colégio Integral está sob apuração da instituição, em Salvador. A situação aconteceu na manhã desta terça-feira (7), dentro da escola, que é uma das principais do ramo e que fica localizada no bairro da Pituba, área nobre da cidade.

Segundo informações do colégio, um aluno do 8° ano do ensino fundamental teria agredido um outro estudante, que está cursando o 6° ano. Após o ataque, o garoto precisou ser socorrido e foi encaminhado para um hospital. Não há detalhes sobre o estado de saúde dele.

Nas redes sociais, pais de outros estudantes do colégio relatam que o ataque teria acontecido em uma das salas de aula da instituição e teria sido gravado por câmeras de segurança. Ainda segundo as informações, o menino teria ficado muito ferido.

Em nota divulgada pelo Colégio Integral, a instituição diz que manteve contato com a família do aluno agredido, e informou que está “tomando providências cabíveis e legais para total apuração dos fatos, bem como as punições adequadas que fizerem necessárias”.

Em contato com a reportagem, a instituição informou também que o suposto agressor foi suspenso das aulas até a apuração completa do caso pelos órgãos competentes. O colégio diz ainda que vai acionar o Ministério Público da Bahia (MP-BA) e o Conselho Tutelar.

Pais assustados

O caso deixou pais e mães de outros alunos preocupados, e tem movimentado os grupos de aplicativo de mensagens da instituição. Em um relato que o iBahia teve acesso na noite desta terça, a mãe de um estudante diz que todos ficaram surpresos com o que houve.

“Estou estarrecida com essa história. Acompanhando desde cedo. O aluno agressor é da sala do meu filho mais velho. Vi o menino crescer. O conheço desde antes de entrar na escola. E estudam juntos desde o grupo 2. Um menino que nunca teve nenhum problema na escola e sempre com comportamento exemplar. Estou sem acreditar. Foi uma agressão cruel e que ninguém jamais imaginava. Todos os pais estarrecidos”, disse.

A mulher diz ainda que o suposto agressor teria mudado o comportamento recentemente, durante a pandemia. “Conversei com meu filho que diz que depois da pandemia ele mudou muito. Ficava calado, se isolava e não tinha mais amigos”.

Leia mais sobre Salvador em iBahia.com e siga o portal no Google Notícias