Transformação Digital

Novos negócios: saiba em quais áreas investir ainda neste ano

Especialista indica que investir em uma startup pode ser uma boa solução

Especial de Conteúdo

Quem está pensando em sair do trabalho assalariado e se jogar no empreendedorismo precisa estar atendo ao mercado e ao planejamento. Afinal, para se tornar empreendedor não basta apenas escolher uma área de atuação e abrir a empresa. Esse é um processo que exige planejamento e maturação antes de ser colocado em prática.

Apesar do momento instável da economia brasileira, o que dificulta uma previsão sobre o mercado com segurança, o consultor em empreendedorismo e professor do Centro Universitário UniRuy, Francisco Pinto, explica que o aspirante a empreendedor pode aproveitar esse momento para planejar o seu negócio.

“Um fator político interfere na economia e, assim, no sucesso do negócio. Isso não quer dizer que você vai ficar parado, esperando o tempo passar. Você pode ir elaborando o seu planejamento, decidindo em qual ramo investir e como atender as necessidades do seu público”, esclarece Pinto. 

Fazer um planejamento, tanto de ideias quanto financeiro, é essencial
Planejamento, inclusive, é fundamental para garantir o seu sucesso. Esse planejamento é pensar o que você quer do seu negócio, definindo o seu público-alvo e entendendo as necessidades que você irá atender. É preciso também estudar o mercado e conhecer a concorrência.

“Boa parte dos negócios que não dão certo é devido a uma falta de planejamento. Poder ser que o negócio sem planejamento dê certo a um curto prazo, mas em algum momento algo vai dar errado”, opina Pinto.

Você pode observar a previsão das profissões em alta e, caso tenha habilidade com alguma delas, se enveredar pelo segmento. Uma vez escolhido a área em que você pretende empreender, é fundamental conhecer o mercado, entender os seus concorrentes e suas práticas. Caso o seu negócio vá depender de fornecedores, é preciso também fazer uma seleção deles antes de colocar a mão na massa.

Também é preciso fazer um estudo de viabilidade, conseguindo assim mais garantias de que você tenha a capacidade financeira para colocar em prática a sua ideia. Assim, o planejamento também exige saber se há um público para a sua ideia, principalmente se for uma ideia muito inovadora. Sua empresa precisa responder a uma demanda do consumidor, caso contrário o faturamento nascerá comprometido.

Esse planejamento não tem uma duração mínima ou máxima de tempo. Ele vai depender de fatores como: nível de inovação da sua ideia e do segmento em que você pretende atuar. “Quanto mais inovadora a ideia, maior será o tempo de planejamento. Você precisa saber se há referências no mercado para você fazer uma comparação e como o público responde ao negócio. Você deve desenvolver o planejamento de sua empresa até poder apresentar algo que atenda minimamente às necessidades do seu cliente”, esclarece o especialista.

Startups em alta
Conhecer os segmentos em alta é uma forma de se preparar e se planejar para abrir um novo negócio. Para este ano, um estudo elaborado no Sebrae no primeiro semestre colocou os ramos de alimentação, saúde e serviços pessoais como apostas para 2018. Para chegar a esse resultado, o Sebrae mapeou os segmentos com maior taxa de expansão dos últimos anos, analisou o comportamento da economia nacional e o mercado externo.

Para Francisco Pinto, muitas dessas previsões do Sebrae se cumpriram no decorrer do ano. Contudo, ele acredita que investir em uma startup pode ser uma boa solução, principalmente se forem para atender as demandas das áreas de saúde e da indústria.

“As startups estão tendo boas oportunidades, porque o setor de saúde e das indústrias precisam sempre estar inovando em relação aos seus produtos, mas nem sempre a própria empresa pode ou quer estar criando essas inovações”, avalia Pinto. Nesse cenário, as empresas acabam terceirizando para as startups a função de desenvolver essas inovações.

Para quem não tem esse alto grau de capacitação acadêmica que as startups exigem, uma alternativa pode ser optar pela abertura de uma franquia. O consultor acredita que a franquia pode dar ao empreendedor o conhecimento de empresa e um produto ou marca forte, em troca do pagamento de um determinado valor.

O especialista, porém, lembra que o investimento em uma área em alta não é garantia de sucesso. “Você pode usar essa informação para dar um direcionamento para a sua carreira, para se qualificar para essa área em alta. Mas isso não quer dizer que qualquer pessoas que entre nesse ramo vai conseguir manter um negócio de sucesso. É preciso uma identificação com o seu negócio, pois é com isso que você vai lidar”, opina.

Auxílio aos novos empreendedores
O empreendedor não está sozinho em sua jornada. Quem deseja abrir um novo negócio e não sabe ainda como começar um planejamento, é possível conseguir uma consultoria empresarial no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Os serviços de orientação empresarial disponibilizados pelo Sebrae incluem uma consultoria em especialidades como finanças, marketing, administração, produção e jurídico, ouvindo queixas e questões e orientando o empreendedor a melhor maneira de resolver os seus problemas e garantir que sua empresa permaneça aberta. 

Já para quem ainda está pensando em abrir um novo negócio, o Sebrae possui um núcleo destinado a prestar informações aos novos empreendedores, auxiliando no planejamento de sua empresa, na melhor forma de atendimento e em orientações legais. Assim, o consultor do Sebrae vai ajudar ao empreendedor a entender os seus pontos fortes e fracos e quais as suas necessidades.

“Uma segunda opção é buscar consultoria em instituições de ensino, com as empresas júniores. Elas são formadas por alunos e possuem o apoio e orientação de professores e podem fazer essa consultoria por um custo muito acessível ao empreendedor”, explica o especialista Francisco Pinto.

Para ele, um novo negócio precisa ter um diferencial para conseguir se manter no mercado, que pode acontecer em forma de atendimento ou em uma linha de produtos diferenciados, por exemplo. Uma consultoria iria ajudar ao novo empreendedor a encontrar o seu diferencial.