Salvador

Justiça marca audiência de instrução e julgamento da médica que caiu do 5º andar de prédio em Jardim Armação

Testemunhas de acusação, de defesa, e o próprio réu serão ouvidos no Fórum Ruy Barbosa. Caso já completou 2 anos

Redação iBahia
20/07/2022 às 10h06

4 min de leitura
Foto: Reprodução / Redes Sociais

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) marcou a data da audiência de instrução e julgamento da médica Sáttia Lorena Patrocínio Aleixo, que caiu do 5º andar de um prédio localizado no bairro de Jardim Armação, em Salvador. O caso chamou atenção porque o companheiro da jovem, identificado como Rodolfo Cordeiro Lucas se tornou suspeito de agredir Sáttia e até de jogá-la da janela do edifício.

De acordo com o TJBA, o processo segue em segredo de justiça por ter sido conduzido com indícios de violência contra mulher. A audiência acontecerá no dia 26 de setembro, às 08h30, no Fórum Ruy Barbosa. O Ministério Público da Bahia (MP/BA) informou que inicialmente serão ouvidas as testemunhas de acusação, seguidas da defesa e por último o réu. O promotor de acusação que estuda o caso é Fernando Villar de Souza.

Vale ressaltar que Sáttia está sem advogado de defesa. Entretando, se ela apresentar o profissional, ele entra no julgamento como representante de acusação adjunto. Nessas audiências, o MP-BA, assumem a titularidade.

Foto: Reprodução / Redes Sociais

Defesa de Rodolfo

A defesa do médico informou, em nota, “que a audiência de instrução designada não é o Júri popular” e que a finalidade da referida audiência é para que o Juiz ouça as testemunhas presenciais. O documento informa ainda que a “defesa técnica aguarda a realização da referida audiência, oportunidade em que
Rodolfo esclarecerá os fatos perante o Juiz, confirmando, junto com as provas produzidas nos autos.”

O crime

A médica Sáttia Lorena, de 27 anos, caiu do quinto andar do prédio Serra do Mar, no dia 20 de julho de 2020. Por volta das 0h30, o companheiro dela – também médico – teria iniciado às agressões físicas, empurrado a jovem contra a janela do quarto do casal.

Conforme a denúncia entregue à Justiça, o suspeito teria forçado que as mãos da médica, que as mantinham dependurada na janela, se soltassem, o que provocou a queda na altura de 15,5 metros. Após a queda, Sáttia Lorena teve lesões graves e precisou ser internada. Ele necessitou ficar em coma induzido e só depois de um mês, ela despertou para finalizar o tratamento médico.

Imagens de câmeras de segurança do prédio auxiliou a polícia na reconstituição do caso. Sáttia foi ouvida no dia do acidente, mas havia sofrido perda de memória recente. Em 28 de setembro, a médica prestou depoimento novamente e contou que sofreu ameaças e agressões do ex-namorado. Ela ainda contou que havia recordado que foi segurada pelo pescoço por Rodolfo, que a ameçou de cortar o rosto e afirmando que acabaria com a vida dela, mas que ela achou que fosse “brincadeira”.

A médica negou que tenha tentado suicídio e que lembra de Rodolfo soltando a mão dela depois de pedir para não morrer. Vale lembrar que Rodolfo Cordeiro chegou a ser preso como suspeito após a queda, em julho, mas foi liberado. Ele disse que a vítima ‘tomava remédios controlados‘.

No dia 15 de julho, o MP também pediu para a Polícia Civil fazer uma nova reconstituição do caso. De acordo com o órgão, a nova reconstituição pedida deve conter a versão dos fatos dada pela vítima. A primeira foi questionada pela defesa do investigado.

Leia mais sobre Salvador no ibahia.com e siga o portal no Google Notícias